Verdade?

Verdade?

Atualizado: Quarta-feira, 6 Outubro de 2010 as 11:09

Mitos e lendas da medicina muitas vezes são aceitos como verdades científicas comprovadas. Livro "Não engula chiclete", escrito por médicos, esclarece algumas dessas lendas 

Será que homens pensam em sexo a cada sete segundos? É verdade que viajar de avião é perigoso para o feto? Esses são alguns dos mitos que envolvem a medicina e que algumas pessoas até acreditam já serem comprovados pela ciência.

Para mostrar quais são as lendas, as meias verdades e as mentiras entre essas hipóteses, o Dr. Aaron E. Carroll e a Dra. Rachel C. Vreeman se uniram e escreveram o livro Não Engula o Chiclete.

O portal da revista Pais & Filhos selecionou alguns dos mitos mais interessantes listados na obra, que foi escrita por médicos e esclarece algumas dessas lendas.

Dê uma olhada, você pode se surpreender.

1. Homens com pés grandes têm pênis grandes

Pesquisas e pesquisas já foram feitas sobre o assunto, envolvendo de 60 a 1.300 entrevistados. No entanto, não há uma relação significativa comprovada sobre o assunto: o máximo de afirmação que um dos levantamentos demonstrou foi uma “estatisticamente significativa” – que não tem o mesmo significado na vida real.

Apesar de não ter sido comprovada, a teoria tem uma base científica: o gene que controla o desenvolvimento dos pés é o mesmo que influencia no crescimento do pênis. Porém, mais uma vez, não existe nada comprovado sobre alguma relação direta entre os membros.

2. Se você raspar seus pelos, eles vão crescer mais depressa, mais escuros e mais grossos

Mulheres sempre ouvem isso da depiladora, que adverte sobre o crescimento exagerado e grosso dos pelos, caso elas decidam evitar a dor da cera e escolher a lâmina “inofensiva”.

No entanto, pesquisas médicas mostram que raspar os pelos não gera nenhuma alteração na cor deles. O que acontece na verdade é que, quando você passa a lâmina sobre a perna, ela apenas retira a parte morta do pelo, mas a raiz continua lá. Assim, quando eles reaparecem sobre a pele, aparentam ser mais escuros por não terem sofrido o efeito do sol, e podem parecer ter maior espessura, mas isso só ocorre pela diferença entre eles e os pelos depilados.

3. Homens pensam em sexo a cada sete segundos

Segundo o livro, essa hipótese é impossível, até porque se fosse verdade os homens pensariam em sexo em 57 mil vezes por dia, e não conseguiriam fazer nenhuma outra atividade.

Em pesquisa realizada nos Estados Unidos, 54% dos entrevistados respondeu que pensava no assunto várias vezes por dia, 43% admitiram pensar algumas vezes por semana ou mês, e apenas 4% declararam pensar menos de uma vez por mês. Porém, mesmo com esses resultados, o mito se mostra invalido.

4. A mulher não engravida se ele “tirar” no último minuto

Não confie nisso. Antes de um homem ejacular, ele pode liberar gostas de sêmen para lubrificação. De acordo com dados da obra, em uma gota de sêmen podem existir 1 milhão de espermatozóides, fator mais do que suficiente para que você se previna.

Não acreditou? Estudos americanos mostram que de 100 mulheres que escolheram esse método para impedir uma gravidez não desejada, 23 terminaram esperando um bebê. Não corra o risco!

5. Pílulas anticoncepcionais não funcionam direito se você tomar antibióticos junto

Não leve tão a sério todas as vezes que te alertaram sobre o risco de combinar pílulas anticoncepcionais e antibióticos: esse mito não é comprovado cientificamente. Para não dizer que não há diferença alguma, em casos de pílula com baixa carga de hormônios, pode sim ocorrer uma diferença, mas ela é mínima.

Em um levantamento realizado nos Estados Unidos, os históricos de 356 mulheres que usavam anticoncepcionais e antibióticos simultaneamente foram analisados, mas nenhuma diferença estatisticamente significante foi verificada.

6. Viajar de avião é perigoso para o feto

Até a 36ª semana, a Associação Americana de Obstetras e Ginecologistas garante que viajar de avião não oferece riscos para a gravidez – a menos que a mulher esteja passando por uma gestação de risco.

Uma equipe americana acompanhou 222 mulheres, das quais 118 haviam viajado pelo menos uma vez de avião. Não foi encontrada nenhuma diferença entre a saúde de mãe e bebê ou tempo de gestação.

7. O andador ajuda o bebê a andar mais cedo

Prepare-se, isso pode ser um choque: os andadores podem, na verdade, retardar a independência do bebê ao andar. Uma pesquisa americana comprovou um atraso de duas a quatro semanas dos bebês que usaram o utensílio, em relação aos que não usaram.

As razões dessa diferença são duas: com o andador, o bebê não enxerga o movimento das pernas e pés; o movimento que a criança faz dentro do acessório é diferente do que executa ao caminhar sozinho.

8. O açúcar estimula as crianças

Não é verdade. No mínimo 12 estudos realizados nos Estados Unidos avaliaram a dieta e não detectaram nenhuma diferença entre os comportamentos.

Uma outra experiência foi realizada com os pais: os pequenos foram dividos em dois grupos, e foi dito para os parentes que um havia tomado alguma bebida com açúcar, e outro algo sem açúcar. Na hora de avaliar o modo como os seus filhos agiram, os pais das crianças do primeiro grupo disseram que eles estavam mais enérgicos que o normal, e os do segundo, que eles estavam mais desanimados. No entanto, a verdade é que todas os pequenos haviam tomado o mesmo líquido.

veja também