Vida a dois: minha sogra veio morar comigo. E agora?

Vida a dois: minha sogra veio morar comigo. E agora?

Atualizado: Terça-feira, 22 Novembro de 2011 as 3:55

As piadas com sogra são comuns. Geralmente ela é criticada, ainda mais quando está mais próxima da vida do casal e pode, de repente, interferir em algo. Mas, você já parou para analisar que tudo isso pode ser apenas implicância? E se fosse preciso sua sogra morar com sua família, debaixo do mesmo teto, qual seria a sua reação?

A chef de cozinha Nathália Mariano de Almeida passou por essa situação. “No começo foi muito difícil, porque, queira ou não, quebrou totalmente a minha privacidade dentro de casa. Eu não podia dizer tudo o que queria quando estava com vontade ou qualquer coisa que pudesse provocar a minha sogra, pois, apesar de tudo, e de estar na minha casa, tratava-se da mãe do meu marido. Quando comecei a me familiarizar com a idéia, ela mudou”.

Segundo a psicóloga Ananda Serrano, antes que a mudança de vida aconteça efetivamente, é necessário que haja uma conversa séria e respeitosa entre o casal, a fim de avaliar como será a nova vida e até quando e como eles vão permitir que se estenda a modificação. Essa troca de palavras pode ajudar no dia a dia dos dois, pois faz com que as coisas fiquem mais claras e evita mais desentendimentos.

“No começo realmente é bem difícil aceitar essa situação, ainda mais quando a pessoa não se dá tão bem e nem tem tanto contato com a sogra. Mas, mesmo assim, não é impossível criar um ambiente agradável e prazeroso para todos”, diz a psicóloga.

Analisar bem a situação é necessário. “Antes de brigar, entenda realmente qual o motivo que a levou a morar junto de sua família. Às vezes, é por doença, impossibilidade de viver sozinha ou qualquer outro motivo pelo qual não vale a pena criar um transtorno”, comenta Ananda.

Muita calma De acordo com a especialista, leva-se um tempo para a adaptação.“O problema maior, na verdade, é quando o parceiro não tem consciência e não enxerga que o casal está sendo atrapalhado por determinadas opiniões e gestos, e acha graça de todas as situações em que a mãe interfere, sempre achando que ela é bem intencionada”, alerta a psicóloga.

Neste caso, a dica é manter a calma e não bater de frente, afinal, antes de ser sogra, foi ela quem gerou ou apenas criou seu cônjuge. Então, mesmo que você tenha total razão, ele vai se ofender se você criticá-la por demais ou chateá-la de alguma maneira.

“Com certeza, por mais que ela goste da sua companhia e do seu modo de tratamento, haverá situações em que irá defendr o filho ou a filha, como no caso de brigas. Aí, dependerá de sua sabedoria e jogo de cintura para sair de uma situação caótica e, assim, preservar o bem do relacionamento do casal”, finaliza Ananda.    

veja também