Vida pessoal X profissional

Vida pessoal X profissional

Atualizado: Quinta-feira, 28 Outubro de 2010 as 11:52

Cursos, fluência em idiomas, workshops, especializações, viagens internacionais e experiências anteriores. As exigências do mercado de trabalho não param de aumentar e a concorrência é cada vez maior. Ou seja, quanto mais você fizer em prol do seu futuro profissional, melhor, mas... E a vida pessoal, como fica?

O esforço pela construção da carreira deve existir, só que em meio a tantos compromissos e cobranças fica difícil reservar um tempo para si mesma. Esta carência pode se refletir na vida amorosa, no ciclo de amizades e até na própria saúde. Uma vez dito isto, o problema é: afinal, como encontrar um equilíbrio saudável? O Bolsa de Mulher foi atrás de respostas e entrevistou as famosas Leona Cavalli, Vanessa Giácomo, Lavínia Vlasak e Adriana Brolli para saber como elas encaram o assunto.

Manter os dois lados da balança com pesos iguais é tanto possível quanto necessário para a atriz Leona Cavalli. "Acho que, a partir do momento em que não se consegue alcançar esse equilíbrio, a gente não consegue ser feliz. Então é preciso ter esse cuidado de sempre separar um tempo para si", diz. Ela ressalta que, ainda que isto represente um desafio, é nosso trabalho superá-lo. "É muito difícil, porque a rotina de todo mundo hoje está muito atribulada. Mas é preciso ter cuidado com o corpo, fazer exercícios físicos, fazer uma caminhada, aulas de dança, viajar", enumera.

Leona garante que consegue alcançar o equilíbrio na prática. "Como sou atriz e minha matéria-prima sou eu mesma, eu tenho que me manter feliz e saudável. Se não houver essa possibilidade de ter uma vida em que se tenha um pouco de alegria, não temos como trabalhar. Eu busco sempre aplicar isso na minha vida. Agora, por exemplo, estou indo viajar para a China. Há muito tempo que não conseguia fazer uma viagem só para diversão, mas agora reservei esse tempo só para mim", revela.

Para Vanessa Giácomo, que recentemente teve seu segundo filho, a vida profissional não deve vir em primeiro lugar. "Na minha opinião, a concorrência e a competição não existem quando você realiza um bom trabalho com profissionalismo. Quando alguém realmente quer o seu trabalho, aquilo vai ser seu e ponto. Ninguém vai tirar isso de você. Acho que tudo acontece na hora certa e da maneira que deve ser. Para mim, a vida profissional tem uma grande importância, mas não deve vir na frente da pessoal. Acho que uma complementa a outra", afirma.

Vanessa, que volta às telinhas na próxima novela das 19h, "Dinossauros e robôs", relata os benefícios de uma vida equilibrada. "Quando se tem os dois lados em harmonia, você vive melhor, mais segura e confiante!", assegura ela, jurando de pés juntos que consegue dar atenção a todos os setores da vida: "Eu consigo fazer tudo o que tenho vontade e isso inclui diretamente minha família. Desta forma, eu sou uma pessoa muito feliz e realizada!".

Lavínia Vlasak não encara este equilíbrio com a mesma facilidade. "Eu acho muito difícil. A gente tem que trabalhar, eu preciso trazer o leite das crianças para casa. No meu caso ainda é mais complicado. Tenho um filho pequeno para criar. Hoje, por exemplo, ele acordou com febre e eu estou super preocupada! Tive que sair para ir ao médico e só vim porque a febre dele abaixou um pouquinho e porque o consultório é perto da minha casa. Mas, e se eu tiver que trabalhar, como faço? É complicado. Porque às vezes você está em um veículo que exige compromissos inadiáveis. Quando estou fazendo uma novela, às vezes tenho que gravar pela manhã para ir ao ar à noite, não tem como faltar", racionaliza.

Adriana Birolli concorda que o equilíbrio é importante, mas acredita que em alguns momentos é preciso se concentrar somente em um setor. "Acho que, de vez em quando, é preciso focar em alguma coisa para atingir um objetivo. Mas é fundamental ter um tempo especial para ser só da gente. Às vezes gosto de dar uma volta de bicicleta, ouvir música, ler um livro. São pequenos momentos que são essenciais para garantir um equilíbrio. Quando isso não acontece, a pessoa acaba ficando rasa, porque é preciso desenvolver outros setores da vida. Só o trabalho não basta. Além de que, com o passar do tempo, você vai ficando amargurada, sempre vai faltar alguma coisa que você não se permitiu ter", conclui a atriz.

veja também