Você já elogiou seu filho hoje?

Você já elogiou seu filho hoje?

Atualizado: Sexta-feira, 20 Agosto de 2010 as 2:44

Quem nunca deu uma bronquinha, julgou sem querer outra pessoa, apontou algum defeito ou ficou zangado com alguma atitude? Muitas vezes, na intenção de alertar ou ajudar outra pessoa, adotamos uma postura não muito adequada. Mas será que este tipo de atitude é o meio mais eficaz para se transmitir a mensagem desejada?

Assim como um "por favor", "bom dia", "com licença" e "muito obrigado", um elogio quando é sincero e dito de forma carinhosa causa um impacto muito grande na autoestima das pessoas. O contrário é bastante comum, por exemplo, quando vamos a uma loja e não somos bem atendidos, pensamos imediatamente em nos queixar do serviço prestado, não é mesmo? Mas será possível que as pessoas deem a mesma importância na hora de elogiar alguém ou algo?

Um elogio nada mais é do que uma mensagem positiva, de encorajamento, uma visão otimista e de incentivo para as pessoas. Quando alguém elogia um prato gostoso feito por alguém, uma pessoa que veste uma roupa bonita ou alguém que alcança um objetivo dentro de sua empresa, esta pessoa fica lisonjeada e isso lhe dá mais força de vontade e disposição para manter-se sempre assim, ou seja, dando o melhor de si.

Essa forma de estímulo não é diferente com as crianças. De acordo com a psicóloga e analista de treinamento do Kumon, Any Bicego o elogio é importante não só para manter uma boa postura de estudos, mas também para aproximar os pais das crianças. "Ao ser elogiada quando faz algo corretamente, a criança se sente mais segura, principalmente se o elogio vier de pessoas de referência, como dos pais, por exemplo. Por isso é importante ficar atendo às atitudes dos filhos, e elogiar os comportamentos adequados no momento em que eles ocorrem. Assim, o elogio se torna mais efetivo, e a chance dos filhos darem continuidade às atitudes elogiadas é bem maior", afirma Any.

É essencial elogiar uma criança, pois isso lhe dá motivos concretos para continuar e superar os seus limites cada vez mais.

Entretanto, é preciso ficar atento: "Elogios em excesso e em momentos inadequados perdem a efetividade, ou condicionam os filhos a sempre esperarem uma resposta de incentivo para qualquer atitude que tomarem. É preciso saber quando, como e o que queremos elogiar, pensando sempre em como queremos que nossos filhos sejam no futuro", finaliza a psicóloga.

Quem mais comenta sobre o elogio é a orientadora do Kumon Regina Garcia, da cidade de Pacaembu, interior de São Paulo. Seu maior sonho é que seus alunos saiam felizes das aulas em sua unidade, para isso ela procura sempre dialogar com eles.

"Procuramos elogiar a cada conquista, a cada vitória, a cada conteúdo aprendido e a cada estágio concluído do curso. Os nossos alunos têm que se sentir motivados e valorizados - esse é o grande diferencial para mantê-los se desenvolvendo através do nosso Método", afirma Regina.

A orientadora também elogia o aluno logo que vem à unidade conhecer o método Kumon. "Procuro analisar tudo o que o aluno conseguiu realizar no teste inicial e tento identificar os pontos concretos para elogiá-lo. Com este tipo de ação, eles já ficam com expectativa para a primeira aula, e se sentem valorizados", destaca a orientadora.

O elogio é um importante fator de motivação. Mais do que um excelente colégio, ótimos livros, lições e estudo, seu filho só se tornará a pessoa que deseja com base em muita atenção e carinho. É importante que ele saiba o que exatamente deixa seus pais felizes.

Um elogio não pode parecer comum, ele deve ter fundamento, ser sincero. Deve partir do coração para motivar a pessoa que o está recebendo. Elogie seu namorado, seu filho, marido, aluno, mãe, funcionário. Devemos entender que palavras de amor são construtivas e tem poder sobre as pessoas.

Por: Natália Prieto

veja também