Você mima demais seu filho?

Você mima demais seu filho?

Atualizado: Quarta-feira, 9 Abril de 2008 as 12

Você mima muito o seu filho? Faz e dá tudo o que ele pede? E, ainda assim, ele é agressivo e não te respeita? Saiba que a atitude de alguns pais pode transformar os filhos em pessoas rebeldes.

Os pais também precisam se perguntar se, ao amar e ceder tanto, não estão fechando os olhos para problemas de comportamento que, no futuro, podem impedir seus filhos de serem aceitos socialmente, prejudicá-los em seu rendimento escolar e até dificultar um relacionamento a dois.

De acordo com a psicóloga Alice Alves, os pais devem impor limites aos filhos. "Crianças não têm noção de perigo, por isso tudo que parecer agradável aos seus olhos elas desejarão ter ou fazer. Quem tem que ponderar as coisas é o responsável, caso contrário, vão correr sérios riscos de formar um adulto mal-educado."

"É normal a criança chorar ao receber um não, mas só assim ela vai aprender o certo e o errado ou, simplesmente, que há limites e não podemos fazer tudo o que queremos", explica a psicóloga.

De acordo com Alice, muitos pais ficam aflitos aos verem seus filhos chorarem e acabam cedendo. "O que a criança aprende hoje, certamente, é o que ela colocará em prática quando estiver adulta. Daí vem a importância de os pais e educadores saberem colocar limites."

Como recuperar o controle

Para a psicóloga britânica Maggie Mamen, autora do livro "The Pampered Children" ("Crianças Mimadas", em tradução livre), os pais de hoje se sentem culpados por passar pouco tempo com seus filhos. Por isso, as crianças tomaram o controle da família, a ponto de decidirem o que se come e qual o lazer de todos.

Os adultos muitas vezes poupam os filhos da responsabilidade e das conseqüências das escolhas que estes fazem. Conseqüentemente, "crianças mimadas não costumam ser expostas a determinadas situações dentro de seu núcleo familiar e têm problemas quando lidam com elas fora da proteção da família".

Por isso, a especialista aconselha pais, assistentes, professores e outros responsáveis por crianças a levarem esse fator em consideração quando traçarem sua estratégia educativa.

Abaixo, alguns conselhos para estabelecer um equilíbrio adequado entre cuidar e amar os filhos, e, ao mesmo tempo, impor-lhes autoridade e respeito:

- As crianças devem saber que, às vezes, é preciso renunciar a algo para ser recompensado mais adiante.

- É preciso fazê-las ver que não há como ter tudo o que se quer de uma só vez, e que nem sempre ganhamos aquilo que queremos.

- Os adultos devem ensinar às crianças que a paciência tem sua recompensa, cumprindo suas promessas.

- Para que as crianças aprendam a lidar com um período sem atividades ou com situações entediantes, monótonas e normais, os pais devem submetê-las a tais experiências.

- As crianças devem saber que é responsabilidade dos pais protegê-las de suas decisões quando estas são perigosas, pouco saudáveis ou imorais. E que os pais têm o direito de impedi-las e desautorizá-las.

- As crianças têm o direito de participar das decisões que dizem respeito a elas. Mas há algumas coisas que só os adultos devem decidir.

veja também