Você sabe o que é felicidade?

Você sabe o que é felicidade?

Atualizado: Quarta-feira, 30 Abril de 2008 as 12

Provavelmente você busca a felicidade ou se considera feliz; mas consegue definir o termo? A tarefa não é fácil. Para se ter uma idéia da complexidade, nem a psicologia tem um conceito geral sobre o assunto.

"Ainda estamos muito longe de uma definição universalmente aceita para conceituarmos alguns termos. Como exemplos disso, temos problemas ao se estudar algumas temáticas como: o conceito de amor e de felicidade", explica o psicólogo Thiago de Almeida.

O que se sabe é que a felicidade é relativa e subjetiva, variando de pessoa a pessoa, ou seja, o que faz alguém feliz pode não causar a mesma reação em um outro indivíduo. Thiago afirma que, de acordo com uma nova orientação da psicologia, somos levados a aspirar por uma vida melhor.

"Felicidade não é um termo técnico. Quando nos referimos a este termo, costumamos chamar de ´bem estar subjetivo`.", declara.

A busca

Para entender porque se busca tanto a felicidade, é interessante voltar na história. Desde a Grécia antiga, o filósofo Aristóteles (séc IV a.c.) já defendia que esse sentimento era o principal objetivo de todo ser humano.

"Avançando na linha do tempo, um outro filósofo de nome Bertrand Russel (sec. XIX), concebia a felicidade como um bem a ser conquistado e não como um presente divino. Desta forma, o homem deveria buscá-la, integrando-se com a sociedade no qual está inserido, buscando a felicidade de outrem na mesma medida em que busca a sua própria felicidade", explica o especialista.

O sonho da conquista plena da felicidade requer um certo cuidado, principalmente quando se deseja de forma "perfeita". Segundo Thiago de Almeida, a mídia (novelas, filmes, etc.) propaga esse sentimento de maneira utópica, inalcançável e irreal.

"Essa visão fomenta nas pessoas uma procura que muitas vezes acaba por colaborar com sua frustração e evidenciar o quão aquém desta felicidade estipulada como ideal elas estão, do que para ajudá-las e/ou orientá-las a viver uma vida melhor", lamenta.

A felicidade é muito importante, mas o indivíduo não deve exagerar, vivendo compulsivamente em busca dos prazeres e das satisfações de forma gratuita. Na atualidade, há muitas pessoas que se consideram infelizes. Para estas, Thiago aconselha sair mais, conversar com os amigos, etc.

"Na mais extrema das hipóteses, procurar um psicoterapeuta a fim de equacionar melhor seus problemas pessoais."

*Thiago de Almeida é psicólogo, psicoterapeuta de casais, e pesquisador pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (Departamento de Psicologia Experimental), especializado no atendimento de problemas em relacionamentos amorosos.

veja também