Você sabia que 90% dos acidentes domésticos infantis podiam ser evitados?

Você sabia que 90% dos acidentes domésticos infantis podiam ser evitados?

Atualizado: Quarta-feira, 19 Maio de 2010 as 9:22

Uma das coisas legais do Youtube é seguir Brand Channels, ou seja, os canais nos quais as marcas colocam suas novidades. Sigo alguns que me interessam muito e há alguns dias soube por lá de novidades da nova campanha da ONG Criança Segura. Desenvolvida pela OpusMúltipla Comunicação Integrada, os comerciais visam estimular a prevenção da principal causa de morte de crianças de 1 a 14 anos no Brasil: os acidentes.

O tema é bem sério: dados do Ministério da Saúde informam que no Brasil acontecem mais de 5 mil mortes todos os anos e cerca de 130 mil internações, devido a acidentes de trânsito, afogamentos, sufocações, queimaduras, quedas, intoxicações, armas de fogo e etc. O mais sério, porém, é saber que 90% destes acidentes poderiam ser evitados com a adoção de medidas de prevenção.

Quem tem crianças sabe que um descuido de apenas alguns segundos pode colocar uma vida em risco. Seguindo este mote, cada filme mostra um dos perigos que se escondem (como a tomada exposta, a janela sem rede de proteção ou uma chaleira com líquido quente) num ambiente aparentemente seguro.

Você sabia que as quedas são a principal causa de acidentes domésticos com crianças? Em seguida vem os cortes, as queimaduras e as intoxicações. E como não podemos estar junto das crianças o tempo todo, o ideal é ensinar: não se limite a proibir as crianças de fazerem isto ou aquilo, procure ensiná-las e alertá-las para os riscos de suas atitudes, de modo que elas possam desenvolver a noção do que é o perigo e do que são comportamentos perigosos. E, sobretudo, dê o exemplo: as crianças imitam os adultos.

Mesmo quando as crianças são pequenas - a explicação vai exigir muita paciência, vale a pena, como contou Flávia Penido aqui. Se for preciso, seja claro e explique porque adultos podem e crianças não, mostrando as razões de idade, capacidade, responsabilidade, segurança, etc.

[Inicialmente postamos aqui os vídeos da campanha, mas não estavam perfeitamente funcoinais. Mas ainda é possível ver todos (e com finais diferentes) no Canal Criança Segura.]

Samantha Shiraishi: mãe, especialista em jornalismo digital e com ampla atuação com mídias sociais e blogs de cultura e comportamento

veja também