Você tem "mania de mãe"?

Você tem "mania de mãe"?

Atualizado: Quinta-feira, 6 Maio de 2010 as 4:16

Quem disse que para ser mãe é preciso ter filhos biológicos ou adotados? Muitas pessoas, seja homem ou mulher, cuidam tanto de quem está ao seu redor que acabam tratando amigos, parentes e pessoas próximas como verdadeiros filhos. É a famosa "mãe de todos". "Essa postura é reflexo de uma necessidade que a pessoa tem de doação, um amor que caminha para o sentido de proteção, embora, para o outro isso possa, muitas vezes, representar invasão", de acordo com a psicóloga Ângela Martins.

Quem tem essa "mania de mãe" em geral acha que tem o dever de aconselhar e encaminhar alguém. O que muitas vezes perdem de vista é que esses cuidados nem sempre são desejados pelo filho postiço. E é aí que mora o desencontro e o conflito nas relações. A mãe tem o papel de aconselhar, acredita que tem as respostas certas e nem sempre dá espaço para os filhos serem quem são. Quando tudo isso é transferido para uma relação com adultos que já cresceram, formaram seus próprios hábitos e valores e têm liberdade para agir, haverá o conflito. "O amor maduro tem outro tipo de emergência para validar as relações e uma dessas emergências é o limite entre as liberdades individuais", diz a psicóloga.

E, proteção nem sempre prima pelo respeito a esses limites, porque nos cega em perceber quem é o outro e o que ele realmente necessita. Esse é o perigo e o sinal de alerta. Também não podemos perder de vista que nas relações humanas há sempre uma ?complementaridade? que se instala a partir dos integrantes da relação: ou seja, se há uma esposa que desenvolve o papel de mãe, é preciso observar se o marido também não desenvolve o papel de "filho". Um reforça a atitude do outro e o sistema se mantém equilibrado, pelo menos sob esse aspecto, até um dos dois se cansar desse papel. Faça o teste

veja também