Argentina cancela partida em Israel após jogadores serem ameaçados por terroristas

O amistoso entre Israel e Argentina que aconteceria no sábado em Jerusalém foi cancelado.

fonte: Guiame, com informações de Times of Israel

Atualizado: Quarta-feira, 6 Junho de 2018 as 12:01

Palestinos em protesto contra o amistoso entre Israel e Argentina. (Foto: Reuters/Albert Gea)
Palestinos em protesto contra o amistoso entre Israel e Argentina. (Foto: Reuters/Albert Gea)

A Associação do Futebol Argentino cedeu à pressão dos protestos palestinos e confirmou nesta quarta-feira (6) o cancelamento do amistoso contra Israel, que aconteceria neste sábado (9) na parte Oriental de Jerusalém.

A equipe atendeu aos pedidos de seus próprios jogadores, que temiam as ameaças e provocações. A federação tentou mudar o local do confronto de Jerusalém para Haifa, mas os jogadores rejeitaram a opção.

A mudança foi aplaudida pelo grupo terrorista Hamas, oficiais da Autoridade Palestina e pelo chefe da Federação Palestina de Futebol, Jibril Rajoub. “O que aconteceu é um cartão vermelho de todos para os israelenses”, disse ele, sentado ao lado de uma placa que dizia “Da Palestina, obrigado Messi”.

Rajoub, que no início da semana pediu a palestinos que queimassem fotos e camisetas do jogador Lionel Messi caso o jogo acontecesse, disse os políticos israelenses tiveram o que merecem e, ironicamente, pediu que Israel não misture política e esportes.


Jibril Rajoub, chefe da Associação Palestina de Futebol, em coletiva de imprensa na Cisjordânia. (Foto: Abbas Momani/AFP)

Embora Israel considere toda Jerusalém como sua capital, os palestinos alegam que a parte oriental da cidade deve ser a capital de seu futuro Estado. O amistoso seria realizado no Estádio Teddy, no bairro de Malha, em Jerusalém Oriental.

O ministro israelense das Relações Exteriores, Avigdor Lieberman, lamentou a decisão. “É lamentável que a elite do futebol argentino não tenha resistido às pressões dos que pregam o ódio contra Israel e que tem como único objetivo violar o direito fundamental de nos defendermos e destruir Israel”, escreveu Lieberman no Twitter.

De acordo com a ministra da Cultura e Esporte de Israel, Miri Regev, os jogadores argentinos receberam ameaças de grupos terroristas.

“Desde que eles anunciaram que jogariam contra Israel, vários grupos terroristas enviaram mensagens e cartas aos jogadores da seleção argentina e seus parentes, incluindo ameaças claras de machucar eles e suas famílias”, disse ela nesta quarta.

A Associação de Futebol de Israel declarou que Rajoub ultrapassou todos os limites usando “brutais ameaças físicas” contra a equipe argentina e prometeu entrar com uma ação contra a Autoridade Palestina em fóruns internacionais. Israel planeja enviar uma carta de reclamação à FIFA, exigindo ação punitiva contra “aqueles que ousaram incitar prejudicar os jogadores de futebol explicitamente”.

veja também