Cristãos se unem a judeus e celebram o Rosh Hashaná: “São nossas raízes judaicas”

O Ministério El Shaddai, nos Estados Unidos, celebrou o Rosh Hashaná com cerca de 700 representantes de 73 nações para tocar o shofar.

fonte: Guiame, com informações do Breaking Israel News

Atualizado: Segunda-feira, 30 Setembro de 2019 as 9:45

O Ministério El Shaddai celebrou o Rosh Hashaná com 700 representantes de 73 nações. (Foto: El Shaddai Ministries)
O Ministério El Shaddai celebrou o Rosh Hashaná com 700 representantes de 73 nações. (Foto: El Shaddai Ministries)

O ano novo judaico, mais conhecido como Rosh Hashaná, foi celebrado por judeus e cristãos no domingo (29), dando início ao ano 5780.

O Ministério El Shaddai, liderado pelo pastor Mark Biltz, promoveu um encontro nos Estados Unidos com cerca de 700 representantes de 73 nações para tocar o shofar — característico nas celebrações do Rosh Hashaná.

O pastor tem promovido o encontro há oito anos, a fim de despertar cristãos de todo o mundo a se conectarem com o calendário bíblico

“O Rosh Hashaná é o único feriado que as nações podem comemorar. É o aniversário do mundo”, disse Biltz ao site Breaking Israel News. “Trata-se de coroar a Deus como rei. Os livros [celestiais] estão abertos. Os tribunais do céu estão abertos. É um ensaio geral para o que está por vir”.

O ministério de Biltz, sediado em Washington, começou aproximadamente 20 anos atrás. Sua visão é apresentar aos cristãos os feriados bíblicos. “Queremos que as pessoas entendam melhor o moedim (festas bíblicas). Celebramos Chanucá, o Purim, o Sucot. E nos conectamos com cristãos de todo o mundo”, explica.

Ele continuou: “Cada vez mais gentios estão entendendo a importância de estudar as raízes hebraicas no contexto. Eu ensino erros do Novo Testamento, sejam erros de tradução intencionais ou mal-entendidos, porque não entenderam o contexto hebraico. Estou dizendo a eles coisas que nunca ouviram antes em toda a sua vida. Eu explico que você não pode entender o Novo Testamento sem entender [a escritura hebraica]”.

Ao contrário de alguns cristãos, Biltz segue fielmente o mesmo calendário que os judeus. “Eu sigo totalmente o calendário de Hillel com os judeus. Deus deu a autoridade a eles”, disse ele, referindo-se ao estudioso judeu que criou o calendário judaico moderno.

Biltz afirma que o trabalho de sua vida é conectar os cristãos com suas raízes judaicas. “As pessoas precisam se conectar. Eu quero que os cristãos amem Israel, o povo judeu e a Torá do ponto de vista da Torá”, destacou.

veja também