É hora de denunciar o sofrimento dos cristãos perseguidos, diz primeiro-ministro de Israel

Benjamin Netanyahu repudiou a intolerância religiosa que países como o Irã continuam a praticar contra os cristãos.

fonte: Guiame, com informações da CBN News

Atualizado: Segunda-feira, 16 Outubro de 2017 as 10:13

Benjamin Netanyahu é primeiro-ministro de Israel. (Foto: Reuters)
Benjamin Netanyahu é primeiro-ministro de Israel. (Foto: Reuters)

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, pediu a um grupo de jornalistas cristãos que continuassem a denunciar a perseguição que cristãos sob sofrem o regime islâmico do Irã.

Falando na primeira Cúpula de Profissionais de Mídia Cristãos em Jerusalém, Netanyahu disse que é hora de falar em nome dos cristãos que sofrem perseguição no Irã.

Ele citou pastores presos por nenhuma outra razão além de serem líderes cristãos ou membros de igrejas que foram brutalmente torturados simplesmente por praticarem sua fé.

"Os cristãos foram açoitados - vocês ouviram isso - açoitados por beberem vinho durante os cultos de oração", disse ele, lembrando o caso de pastores e membros de igrejas que foram presos por terem celebrado uma santa ceia em sua comunidade.

Netanyahu tem alertado o mundo sobre as atividades terroristas e as ambições nucleares do Irã, mas ele disse naquela noite do evento que queria voltar sua atenção para aqueles que são perseguidos por causa de sua fé.

"Alguns líderes mundiais estão dispostos a ignorar essa repressão e buscam apaziguar o Irã, mas eu não sou um deles. Penso que a forma como um país trata as minorias religiosas é um indicador muito bom de como tratará seus concidadãos e seus vizinhos", afirmou

Ele então encorajou os jornalistas cristãos a destacarem o sofrimento dos cristãos perseguidos do Irã.

"Dediquem esta semana a delinear a situação dos inúmeros cristãos que sofrem sob o regime islâmico do Irã. Façam um perfil dos líderes cristãos corajosos, que foram presos por praticarem e compartilharem sua fé. Sentem-se com as famílias, os professores presos por anos, simplesmente por terem se convertido ao cristianismo... Liguem as mentiras ditas pelo presidente Rouhani, que prometeu em 2013 que todas as religiões 'seriam amparadas pela justiça' no Irã, enquanto tantos cristãos vivem lá em constante terror", disse ele.

Patrocinado pelo Gabinete de Imprensa do Governo, pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros e pelo Gabinete do Primeiro-ministro, a cúpula reuniu mais de 100 jornalistas e palestrantes cristãos de todo o mundo para compartilhar mais sobre a história bíblica e moderna de Israel e seus desafios de segurança. O discurso de Netanyahu no Museu de Israel marcou a abertura do evento.

O líder israelense elogiou o presidente Trump por sua ação esta semana buscando impor mudanças para pressionar mudanças no acordo nuclear com o Irã, assinado pelo governo Obama.

"Isso causou uma boa impressão nos aliados dos EUA aqui. E isso também gerou outra grande impressão no Irã. Eles deveriam mesmo estar preocupados, com razão", disse ele.

Ele observou que a ameaça iraniana é dupla: a possibilidade de ganhar um "vasto arsenal" de armas nucleares e seu objetivo de criar um "Arco xiita" de influência no Oriente Médio.

"Há um propósito de construir o Arco xiita - Irã, Iraque, Síria, Líbano - e isso está funcionando. Eles querem um arco xiita para colonizar e controlar. É um ato de agressão não adulterada", disse ele.

No final de seu discurso, o primeiro-ministro respondeu a perguntas de alguns membros da imprensa.

CBN News O chefe do Escritório do Oriente Médio, Chris Mitchell, citou os esforços de socorro de Israel para as vítimas de catástrofes naturais em todo o mundo e perguntou a Netanyahu por que, com todos os perigos e lutas que o pequeno estado judeu enfrenta, corre para ajudar os outros.

"Porque somos uma luz para as nações, esse é o cumprimento dessa grande profecia. Isso é o que Israel está fazendo", disse ele.

Nos últimos meses, Israel enviou donativos de socorro e equipes de resgate às vítimas dos furacões no Caribe e nos terremotos dos EUA e México.

"Este é o cumprimento de uma profecia e de fato, é isso que Israel está fazendo. Está fazendo isso também em lugares, como Haiti, Filipinas, no México", afirmou. "As pessoas dizem: 'Bem, o que você está fazendo? O que é que vocês ganham com isso?' E a resposta é que não estamos ganhando nada. Estamos cumprindo nossos valores mais profundos. Israel é uma luz para as nações".

veja também