Evangélicos voltam a cobrar Itamaraty sobre mudança da embaixada para Jerusalém

Mais de 40 deputados da bancada evangélica foram ao Itamaraty para falar sobre a mudança da embaixada de Israel.

fonte: Guiame, com informações da Época

Atualizado: Sexta-feira, 14 Junho de 2019 as 11:54

Ernesto Araújo recebeu 40 parlamentares da bancada evangélica no Itamaraty. (Foto: Coluna Guilherme Amado/Agência O Globo)
Ernesto Araújo recebeu 40 parlamentares da bancada evangélica no Itamaraty. (Foto: Coluna Guilherme Amado/Agência O Globo)

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, foi cobrado por 40 deputados da Frente Parlamentar Evangélica sobre a transferência da embaixada de Israel para Jerusalém, na última quarta-feira (12) no Itamaraty.

Conforme informou a coluna de Guilherme Amado na revista Época, cada parlamentar expôs sua visão sobre como a mudança tem a ver com soberania nacional e com a importância das relações com os Estados Unidos, que transferiu a embaixada americana para Jerusalém.

Os parlamentares da bancada evangélica lembraram Araújo que esperam que o presidente Jair Bolsonaro cumpra sua promessa. No fim da reunião, o chanceler recebeu uma oração dos deputados, que em seguida oraram pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro.

Em sua visita oficial a Israel, Bolsonaro anunciou a abertura de um escritório comercial do governo brasileiro em Jerusalém, como uma saída diplomática para o embaraço gerado com países árabes. No entanto, os parlamentares evangélicos não abrem mão da mudança definitiva da embaixada de Tel Aviv para Jerusalém.

Segundo o deputado federal Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ), o tema é “importantíssimo” para os evangélicos. “Se este assunto é o que mais interessa a nós e aos judeus, o governo deveria ter dito desde o começo que agora só conseguiria abrir o escritório, mas que depois vai transferir a embaixada”, disse ele ao Globo.

O deputado Marco Feliciano (PODE-SP) também espera que Bolsonaro cumpra sua palavra e transfira a embaixada. “Respeito a abertura do escritório, porém o segmento evangélico, um terço do eleitorado brasileiro, que deu uma vantagem de 11 milhões de votos ao presidente Jair Bolsonaro, garantindo sua eleição, confia que ele cumprirá sua palavra e em breve mudará a embaixada brasileira para Jerusalém”, escreveu no Twitter.

O pastor Silas Malafaia disse no Twitter que acredita que a mudança será gradual. “Trump levou 9 meses para transferir a embaixada para Jerusalém. Em que lugar Bolsonaro falou que iria transferir a embaixada por ocasião da sua visita a Israel? Nenhum! O processo está apenas começando, vamos ver o final”, publicou.

“Nem Liga Árabe, palestinos ou ONU vão determinar a decisão do governo brasileiro em relação a Jerusalém. Somos uma nação soberana que respeita a soberania de outras nações. Jerusalém foi fundada pelo rei Davi, nunca na sua história foi capital de estado árabe”, acrescentou o pastor.

veja também