Grupo cristão internacional pede que nações transfiram suas embaixadas para Jerusalém

A organização tem buscado mobilizar todas as nações que já têm embaixada em Israel para reconhecer Jerusalém como capital israelense.

fonte: Guiame, com informações do Charisma News

Atualizado: Terça-feira, 27 Fevereiro de 2018 as 9:14

O Monte do Templo é um dos locais considerados sagrados em Jerusalém, que representa a maior disputa entre judeus e árabes. (Foto: Shutterstock)
O Monte do Templo é um dos locais considerados sagrados em Jerusalém, que representa a maior disputa entre judeus e árabes. (Foto: Shutterstock)

A Embaixada Cristã Internacional de Jerusalém (ICEJ), saudou calorosamente o anúncio feito na última sexta-feira (23) de que a nova embaixada dos Estados Unidos em Israel será inaugurada oficialmente em Jerusalém no dia 14 de maio, no tempo para as celebrações do 70º aniversário de Israel.

"Agradecemos mais uma vez ao Governo Trump por manter seu compromisso de transferir a embaixada norte-americana para Jerusalém, lugar ao qual ela sempre pertenceu", disse o presidente do ICEJ, Dr. Jürgen Bühler. "Nós nos juntamos ao povo israelense e ao governo para cumprimentar este gesto tão bem cronometrado. A Embaixada Cristã também tem esperanças de que outras nações sigam rapidamente o exemplo e estamos trabalhando para garantir esse resultado através de nossas diversas agências e ativistas nacionais em todo o mundo".

A ICEJ está atualmente se aproximando dos líderes de inúmeras outras nações ao redor do mundo para exortá-los a se juntarem aos Estados Unidos, movendo suas embaixadas em Israel de Tel Aviv para Jerusalém. Esses esforços estão sendo coordenados pela sede da organização em Jerusalém e incluem campanhas com envios de cartas e lobby direto dos líderes governamentais pelas comunidades cristãs locais.

A iniciativa está usando como guia a forma como várias nações votaram sobre a recente resolução da Assembléia Geral das Nações Unidas (21 de dezembro de 2017), que exigia que os EUA retirassem seu reconhecimento de Jerusalém como a capital oficial e indivisível de Israel.

Um dos pontos-chave desta campanha é o argumento de que várias nações que votaram a favor da resolução da ONU em dezembro estão violando seus termos, o que exigia explicitamente a todas as nações "abster-se do estabelecimento de missões diplomáticas na Cidade Santa de Jerusalém". A Bélgica, França, Grécia, Itália, Espanha, Suécia, Turquia e o Reino Unido apoiaram a resolução e, no entanto, violaram imediatamente as suas disposições, uma vez que cada uma tem embaixadas ou consulados em Jerusalém que servem abertamente como seu carro-chefe em missões diplomáticas para a Autoridade Palestina.

"A comunidade internacional sempre pediu uma abordagem imparcial sobre Jerusalém, de modo a não prejudicar esta questão sensível do status final. No entanto, existem oito nações que têm suas principais missões em favor dos palestinos em Jerusalém. A demanda pela neutralidade acaba de ser um pretexto sem base para impedir o povo judeu de declarar Jerusalém como seu lugar legítimo. Portanto, nenhuma nação pode se queixar quando um país decide abrir uma embaixada em Israel, na cidade De Jerusalém", afirmou o Dr. Bühler.

A Embaixada Internacional Cristã em Jerusalém foi fundada em 1980 como uma representação permanente da solidariedade cristã global para com Israel e, em particular, com a sua capital indivisível, que é Jerusalém, em reconhecimento do antigo apego judaico a esta cidade. Hoje, a ICEJ tem filiais em mais de 90 países e apoiantes em mais de 170 países em todo o mundo.

veja também