Israel celebra terceiro aniversário do reconhecimento de Jerusalém como sua capital

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu recebeu o embaixador dos EUA em Israel, David Friedman para uma solenidade em seu gabinete.

fonte: Guiame, com informações do Jerusalem Post

Atualizado: Segunda-feira, 7 Dezembro de 2020 as 8:05

Embaixador dos EUA em Israel, David Friedman (à esquerda) foi recebido pelo primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu (à direita), para a celebração de uma solenidade para marcar o terceiro ano do reconhecimento de Jerusalém. (Foto: GPO Amos Ben)
Embaixador dos EUA em Israel, David Friedman (à esquerda) foi recebido pelo primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu (à direita), para a celebração de uma solenidade para marcar o terceiro ano do reconhecimento de Jerusalém. (Foto: GPO Amos Ben)

No último domingo (6), o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu expressou sua gratidão ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, por ter reconhecido Jerusalém como a capital de Israel, celebrando o terceiro aniversário dessa proclamação histórica.

Netanyahu e o embaixador dos EUA em Israel, David Friedman, penduraram uma cópia da proclamação no gabinete do primeiro-ministro, ao lado do reconhecimento do ex-presidente dos EUA Harry Truman, em 1948 do Estado de Israel, que fora criado naquele ano.

“Essas duas proclamações históricas nunca serão esquecidas pelo povo judeu e pelo Estado judeu. Eles serão estimados por gerações”, disse Netanyahu em uma mensagem dirigida a Trump. “Estamos profundamente gratos por tudo que você fez por Jerusalém e Israel, trazendo a paz e levando a aliança EUA-Israel a patamares sem precedente”.

Netanyahu então observou outros movimentos positivos feitos por Trump em nome de Israel.

“Você reconheceu a soberania de Israel sobre as Colinas do Golã. Você reconheceu os direitos legítimos de Israel na Judeia e Samaria. Você propôs um plano de paz realista que reconhece esses direitos e mantém a capacidade de Israel de se defender. Vocês forjaram os históricos acordos de Abraão, que inauguraram um novo período de paz, que está mudando dramaticamente a face do Oriente Médio diante de nossos olhos”, disse ele.

“E ao invés de apaziguar aqueles que gritam 'Morte à América' e 'Morte a Israel' em Teerã [Irã], você se retirou do perigoso acordo nuclear com o Irã, colocou sanções paralisantes sobre o Irã e eliminou o terrorista mais perigoso do mundo, Qassem Soleimani”, Netanyahu .

Soleimani, comandante da Força Quds na Guarda Revolucionária Iraniana, foi morto em um ataque de drones dos EUA no Iraque no início deste ano.

Durante a cerimônia, Friedman e Netanyahu colocaram juntos a proclamação nas paredes da sala do gabinete. Friedman se juntou a Netanyahu para elogiar a mudança.

“Ao reconhecer Jerusalém, o presidente Trump também fez outra coisa. Ele enviou uma mensagem clara ao mundo de que os Estados Unidos estão firmes com seus aliados e que baseiam sua política externa na verdade, não em desejos ou fantasias”, disse ele.

“Essa mensagem, desde então, reverberou por toda esta região e outras regiões, e tornou o mundo um lugar mais seguro”, acrescentou.

Netanyahu observou que os judeus em todo o mundo celebrarão o Hanukkah a partir desta semana. O feriado marca a vitória dos macabeus judeus sobre seus opressores greco-sírios há 2.000 anos.

“Graças a você, Senhor Presidente, nós, os descendentes dos Macabeus, podemos comemorar que aquela aliança entre o renascido Estado Judeu e o país mais poderoso da terra, está mais forte do que nunca. E celebramos o fato de que a bandeira americana está hasteada no topo da nova embaixada americana que você, presidente Trump, mudou para nossa gloriosa capital eterna - Jerusalém”, disse ele.

veja também