Líder islâmico faz ameaça de “guerra” por causa da embaixada dos EUA em Jerusalém

Com o anúncio da mudança da embaixada dos EUA para Jerusalém, o Grande Mufti da Palestina alertou sobre o possível início de uma guerra.

fonte: Guiame, com informações de Palestinian Media Watch

Atualizado: Quinta-feira, 1 Março de 2018 as 10:54

O Grande Mufti da Autoridade Palestina, Muhammad Hussein, alertou sobre uma possível guerra. (Foto: Reprodução)
O Grande Mufti da Autoridade Palestina, Muhammad Hussein, alertou sobre uma possível guerra. (Foto: Reprodução)

Após o anúncio da mudança da embaixada dos Estados Unidos de Tel Aviv para Jerusalém, que acontecerá em 14 de maio, o Grande Mufti da Autoridade Palestina alertou sobre o possível início de uma guerra, devido ao movimento do Departamento de Estado dos EUA.

Muhammad Hussein, que atua como a maior autoridade religiosa da Palestina desde 2006, afirmou que a transferência da embaixada americana para Jerusalém será um “ataque flagrante contra árabes e muçulmanos de todo o mundo”.

De acordo com uma publicação do jornal oficial da Autoridade Palestina, Al-Hayat al-Jadida, o Grande Mufti destacou que a mudança “não irá promover paz e segurança na região, mas irá provocar desastres de guerras, anarquia e instabilidade”.

Ele ainda encorajou os palestinos e os muçulmanos a usarem a violência e o martírio. “Os moradores de Jerusalém e todos os palestinos, árabes e muçulmanos, não se submeterão a este flagrante ataque e sacrificarão tudo o que lhes é estimado para enfrentar a teimosia americana”, diz a publicação.

Em comunicado feito no domingo (25), o Ministério das Relações Exteriores da Autoridade Palestina classificou a embaixada como uma agressão direta, provocativa e um golpe contra os árabes e muçulmanos.

O Conselho Nacional Palestino também chamou o anúncio dos EUA de “provocação flagrante contra o desejo internacional, árabe e islâmico”.

A inauguração da embaixada americana em Jerusalém acontecerá no Dia da Independência de Israel, em 14 de maio. O movimento acontece depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, reconheceu Jerusalém como capital da nação judaica e decidiu tirar sua embaixada de Tel Aviv.

A embaixada em Jerusalém será transferida gradualmente para as instalações do consulado americano que já existe no bairro de Arnona, na região sul da cidade. A previsão é que até o final de 2019, um novo anexo da embaixada seja aberto no complexo de Arnona.

veja também