Mar da Galiléia está prestes a encher pela primeira vez em 28 anos

Autoridade Hídrica de Israel diz que o Mar da Galiléia está a apenas 21 centímetros do seu nível máximo, graças a um inverno de fortes chuvas.

fonte: Guiame, com informações do Times of Israel e Breaking Israel News

Atualizado: Quinta-feira, 16 Abril de 2020 as 11:58

Vista do Mar da Galiléia a partir da cidade de Tiberíades, no norte de Israel. (Foto: David Cohen/Flash90)
Vista do Mar da Galiléia a partir da cidade de Tiberíades, no norte de Israel. (Foto: David Cohen/Flash90)

Enquanto Israel e o resto do mundo têm se concentrado em combater a pandemia de coronavírus, o Mar da Galiléia alcançou seu nível mais alto após um inverno chuvoso e pode ficar cheio pela primeira vez em 28 anos.

A Autoridade Hídrica de Israel informou informou no domingo (12) que o lago estava a 209,01 metros abaixo do nível do mar, apenas 21 centímetros abaixo da “linha vermelha superior”. Ao passar deste limite, o Mar da Galiléia pode transbordar.

Especialistas citados pela mídia israelense disseram que o nível da água deve atingir a linha vermelha superior nos primeiros dias de maio, pela primeira vez, desde fevereiro de 1992.

Isso significa que as autoridades podem intervir e abrir uma barragem no Kibutz Degania, permitindo que a água flua para o rio Jordão. Isso só aconteceu duas vezes — em 1969 e em 1992 — desde que a barragem foi construída em 1931.

Por causa das fortes chuvas desde o início de janeiro, o nível de água subiu em 3,12 metros e continuará subindo nas próximas semanas, à medida que a neve derrete nos cumes das colinas de Golã e fluem continuamente para o lago.

Outro fator é o feriado de Páscoa que é celebrado em Israel por uma semana. Nesse período, a água do Mar da Galiléia não é bombeada por não ser considerada kosher, já que o lago pode conter produtos de trigo ou fermento.

Em 2018, a Autoridade da Água alertou que o Mar da Galiléia estava secando como resultado de baixas chuvas e alertou que estava se aproximando da “linha preta”, provocando danos à qualidade da água por causa do lodo e outros problemas.

A Bíblia descreve a chuva em Israel como um reflexo da bênção de Deus.

“Se vocês obedecerem fielmente aos mandamentos que hoje lhes dou, amando o Senhor, o seu Deus, e servindo-o de todo o coração e de toda a alma, então, no devido tempo, enviarei chuva sobre a sua terra, chuva de outono e de primavera, para que vocês recolham o seu cereal, e tenham vinho novo e azeite” (Deuteronômio 11:13-14).

O rabino Yekutiel Fish acredita que a chuva em Israel não é simplesmente o resultado de processos naturais, mas sim um aspecto da misericórdia de Deus.

Isso é o que também defende o rabino Dov Kook: “A chuva é o casamento do céu e da terra e essas chuvas sugerem que o Messias está prestes a chegar. Os céus são domínio de Deus e a terra é Israel. Esta chuva é claramente a chuva da redenção”.

veja também