Ministro de Israel anuncia 'avanço significativo’ em tratamento contra o Covid-19

O Instituto de Pesquisa Biológica de Israel tem liderado esforços para desenvolver tratamento e vacina para o coronavírus.

fonte: Guiame, com informações do NY Times e The Times of Israel

Atualizado: Terça-feira, 5 Maio de 2020 as 3:05

O ministro da Defesa de Israel, Naftali Bennett. (Foto: Reprodução/Reuters)
O ministro da Defesa de Israel, Naftali Bennett. (Foto: Reprodução/Reuters)

Israel isolou um importante anticorpo contra o coronavírus em seu principal laboratório de pesquisa biológica, disse o ministro da Defesa de Israel na segunda-feira (4).

O ministro Naftali Bennett chamou o passo de "avanço significativo" em direção a um possível tratamento para a pandemia do Covid-19.

O "anticorpo neutralizante monoclonal" desenvolvido no Instituto de Pesquisa Biológica de Israel (IIBR)" pode neutralizá-lo (o coronavírus causador da doença) dentro dos corpos das transportadoras", disse o ministro da Defesa em comunicado.

Naftali Bennett elogia a descoberta, classificando o esforço de "conquista incrível".

O comunicado acrescentou que Bennett visitou o IIBR na segunda-feira, onde foi informado "de um avanço significativo na descoberta de um antídoto para o coronavírus".

Ele citou o diretor do IIBR, Shmuel Shapira, dizendo que a fórmula do anticorpo estava sendo patenteada, após o que um fabricante internacional seria procurado para produzi-lo em massa.

O IIBR tem liderado os esforços israelenses para desenvolver um tratamento e vacina para o coronavírus, incluindo o teste de sangue daqueles que se recuperaram do Covid-19, a doença respiratória causada pelo vírus.

Os anticorpos nessas amostras - proteínas do sistema imunológico que são resíduos da superação bem-sucedida do coronavírus - são amplamente vistos como uma chave para o desenvolvimento de uma possível cura.

O anticorpo relatado como tendo sido isolado no IIBR é monoclonal, o que significa que foi derivado de uma única célula recuperada e, portanto, é potencialmente de valor mais potente na obtenção de um tratamento.

Em outros lugares, houve tratamentos contra o coronavírus desenvolvidos a partir de anticorpos policlonais ou derivados de duas ou mais células de ascendência diferente, informou a revista Science Direct em sua edição de maio.

Doações

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu prometeu na segunda-feira US$ 60 milhões durante uma conferência internacional de doadores, levantando fundos para a luta conjunta contra a pandemia de coronavírus.

“Como todos os países, Israel agora está tentando encontrar o equilíbrio certo entre proteger a saúde de nossos cidadãos, impedindo outro pico de infecções e permitindo a reabertura de nossa economia, mas, em última análise, para garantir a saúde pública e a prosperidade nacional, todos devemos trabalhar juntos para melhorar o diagnóstico, acelerar as terapias e, finalmente, desenvolver uma vacina”, afirmou ele em uma mensagem pré-gravada para o evento virtual de compromisso.

"Estou confiante de que as principais instituições de pesquisa de Israel, seus cientistas de renome mundial e nossa cultura única de inovação podem nos permitir desempenhar um papel importante no avanço de soluções nas três frentes", prosseguiu.

"Esperamos trabalhar com outros países para alavancar nossas capacidades exclusivas e encontrar soluções para o benefício de todos", declarou.

Cerca de 100 grupos de pesquisa em todo o mundo estão buscando vacinas, com quase uma dúzia nos estágios iniciais de testes em humanos ou prestes a começar. Até agora, porém, não há como prever qual vacina, se houver alguma, funcionará com segurança, ou mesmo para nomear um candidato.

Israel foi um dos primeiros países a fechar suas fronteiras e impor restrições cada vez mais rigorosas ao movimento para impedir o surto de coronavírus doméstico.

Até o momento, o país relatou 16.246 casos e 235 mortes pela doença.

veja também