Nossa geração é testemunha do cumprimento profético sobre Israel, diz ativista política

O “Café da Manhã de Oração por Jerusalém” reuniu líderes políticos e cristãos para orarem por Israel.

fonte: Guiame, com informações do Charisma News

Atualizado: Terça-feira, 27 Novembro de 2018 as 11:28

Ex-congressista norte-americana Michele Bachmann, discursando em uma conferência em Maryland, nos EUA. (Foto: Carolyn Kaster/AP)
Ex-congressista norte-americana Michele Bachmann, discursando em uma conferência em Maryland, nos EUA. (Foto: Carolyn Kaster/AP)

Líderes políticos e religiosos se reuniram na última quinta-feira (22) em Orlando, nos Estados Unidos, para orar por Israel no Jerusalem Prayer Breakfast (Café da Manhã de Oração por Jerusalém).

No encontro, o embaixador de Israel nas Nações Unidas, Danny Danon, encontrou um ambiente de apoio. “Na ONU, todos os dias eles culpam Israel; eles nos condenam e duvidam da nossa conexão com Jerusalém e com o local sagrado”, disse ele à Charisma News. “Me inspira a ver tantos amigos de Israel se unindo e orando juntos”.

O Jerusalem Prayer Breakfast é um movimento de oração iniciado por Robert Ilatov, membro do Knesset (Parlamento de Israel), e co-presidido pela ex-congressista norte-americana Michele Bachmann. O objetivo é reunir líderes governamentais e cristãos para orarem pela paz de Jerusalém.

Com o reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel pelo presidente americano Donald Trump e a mudança da embaixada americana de Tel Aviv para Jerusalém, Danon conta que Israel passou a ser mais respeitado, mas ainda enfrenta muitos desafios.

“Somos um Estado-membro pleno da ONU e acho que estamos nos tornando cada vez mais respeitados. As pessoas estão percebendo cada vez mais que somos a solução e não o problema. Mas ainda há muita hipocrisia — muito disso vem dos países europeus, e eles deveriam conhecer melhor [a nossa história]”, acrescentou Danon.


Embaixador de Israel na Organização das Nações Unidas, Danny Danon. (Foto: Drew Gibbs)

No entanto, Michele Bachmann acredita que não há prova maior da Palavra de Deus do que a existência do Estado de Israel. “Israel é o maior milagre da Bíblia”, destacou. “A Bíblia predisse que o Estado judeu moderno seria reconstruído e somos testemunhas do cumprimento da profecia. O profeta Ezequiel profetizou que Jerusalém voltaria às mãos dos judeus. Isso não aconteceu até 51 anos atrás, em 1967. Na minha vida, eu testemunhei o cumprimento da profecia de Ezequiel”.

“Quando você se aprofunda nisso, dentro de nossa era moderna, nós somos testemunhas do cumprimento profético. Isso não deve apenas aumentar nossa confiança e nossa fé, deve aumentar nosso apreço pela Bíblia, a autoridade da Palavra de Deus. A Bíblia deveria ser ainda mais confiável, e muitas vezes não é. Ainda há mais acontecimentos por vir”, Bachmann completou.

Danon incentivou os cristãos a conhecerem a Terra Santa e pediu para as igrejas se posicionarem sobre Israel. “As igrejas não devem ter vergonha de falar por Israel. Eu conheço muitas pessoas que dizem que nos apóiam e oram por nós, mas elas precisam se pronunciar. Peço aos pastores que mobilizem suas comunidades para falarem por Israel. Estamos na linha de frente juntos”.

veja também