Novo presidente da Guatemala anuncia apoio a Israel: “Seus inimigos são nossos inimigos”

O presidente eleito da Guatemala se reuniu com o presidente de Israel e declarou o apoio de seu país.

fonte: Guiame, com informações da CBN News

Atualizado: Segunda-feira, 9 Dezembro de 2019 as 11:05

Presidente eleito da Guatemala, Alejandro Giammattei e o presidente israelense Reuven Rivlin. (Foto: Alejandro Giammattei)
Presidente eleito da Guatemala, Alejandro Giammattei e o presidente israelense Reuven Rivlin. (Foto: Alejandro Giammattei)

O presidente eleito da Guatemala, Alejandro Giammattei, afirmou no domingo(8) seu apoio a Israel em encontro com o presidente israelense Reuven Rivlin em Jerusalém, durante sua primeira viagem ao Estado judeu.

Rivlin recebeu Giammattei como um “amigo querido” e disse: “A amizade entre nossos países é profunda”.

Giammmattei prometeu que a Guatemala apoiará aqueles que estão com Israel e fará oposição aos que atacam o país. “Os amigos de Israel são nossos amigos; os inimigos de Israel são nossos inimigos”, disse o presidente guatemalteco. 

A Guatemala teve um forte relacionamento com Israel antes mesmo da existência do estado moderno. A Guatemala foi um países que votou a favor da criação de Israel na ONU, em 1947. É uma votação que Rivlin disse que Israel “nunca esquecerá”.

Desde então, a Guatemala tem demonstrado ser um aliado fiel a Israel. O país da América Central foi a segunda nação, atrás dos Estados Unidos, a reconhecer Jerusalém como capital de Israel e transferir sua embaixada para a Cidade Santa. 

Em entrevista à CBN News no ano passado, o vice-presidente guatemalteco Jafeth Cabrera disse que a mudança da embaixada de Tel Aviv para Jerusalém levou muito tempo para acontecer, mas teve significados proféticos.

“Sim, compartilhamos essa ideia, que a profecia está se cumprindo e estamos satisfeitos que a Guatemala esteja contribuindo para que isso aconteça e esperamos que em breve seja uma realidade”, disse Cabrera.

Cabrera explicou que a decisão de mudar a embaixada foi resultado de muita oração. “Isso foi fundamental para tomarmos a decisão de expressar nossa semelhança com Cristo e expressar nossa fé. Nós oramos”, revelou.

veja também