‘Os acordos com Israel não apontam o anticristo, mas preparam o cenário’, diz rabino

O rabino messiânico Marcelo Guimarães, presidente do Ministério Ensinando de Sião, falou sobre os recentes acontecimentos sob o olhar das profecias bíblicas.

fonte: Guiame

Atualizado: Terça-feira, 15 Setembro de 2020 as 11:44

Donald Trump e equipe em anúncio do acordo entre os Emirados Árabes Unidos e Israel na Casa Branca. (Foto: Brendan Smialowski/AFP via Getty Images)
Donald Trump e equipe em anúncio do acordo entre os Emirados Árabes Unidos e Israel na Casa Branca. (Foto: Brendan Smialowski/AFP via Getty Images)

O acordo de paz entre Israel e os Emirados Árabes, mediado pelos Estados Unidos, está ligado ao anticristo? O rabino messiânico Marcelo Guimarães, presidente do Ministério Ensinando de Sião, falou sobre os recentes acontecimentos sob o olhar das profecias bíblicas em vídeo publicado na última quinta-feira (10).

“Na minha opinião pessoal, não se trata de um acordo com o anticristo. Eu ainda não vejo os EUA como o país que vai propiciar o aparecimento do anticristo. Também não vejo os Emirados Árabes como um país de liderança mundial, fora o cenário do Oriente Médio”, diz Guimarães no canal do ministério.

O rabino observa que não é a primeira vez que Israel sela um acordo de paz com um país árabe. “Israel está cercado por 22 países árabes e já celebrou um acordo de paz com o Egito em 1979 e com a Jordânia em 1994”, observa.

“É um marco histórico? Podemos dizer que sim. Agora, isso tem a ver com o cumprimento de Daniel 9:27, que diz que o anticristo fará uma aliança com muitos? [A profecia] não fala apenas de Israel, fala de muitos. Evidentemente podemos deduzir que esse versículo se refere a Israel, porque diz que, após três anos e meio, ele dará fim ao sacrifícios feitos no Templo”, analisa.

Embora Guimarães não veja as relações com os Emirados Árabes como um “acordo do anticristo”, ele acredita que “todo o cenário está sendo montado e cada peça deste cenário é importante”, especialmente os próximos acordos visando a paz que poderão surgir.

O rabino expõe ainda sua visão a respeito dos acontecimentos do fim dos tempos: “Teremos 7 anos de tribulação, sendo os primeiros 3 anos e meio com a manifestação do anticristo. Ele será uma liderança mundial com muito êxito e prosperidade, mas lembro a vocês que, pelas Escrituras, passados os 3 anos e meio, haverá o que é interpretado como a grande tribulação, onde começam a acontecer o cumprimento dos 7 selos, das 7 trombetas e das taças da ira”.

Tendência

Em sua análise, o rabino também observa a tendência do crescimento da esquerda, especialmente em países da Europa. Ele também fala sobre a atuação da Rússia e China, dois grandes países com governos comunistas e socialistas.

“Esse cenário da ordem mundial vai acontecer. As nações vão se unir, os acordos de paz vão aumentar, a tendência da esquerda é ganhar mais terreno”, segundo Guimarães, inclusive nos EUA.

Caso as eleições presidenciais nos EUA, que vai acontecer em novembro, tomem um rumo diferente, Guimarães acredita que isso pode “até acelerar o cenário dos acordos mundiais”.

Diante destes acontecimentos, o rabino convida os seguidores de Yeshua (Jesus em hebraico) a estarem atentos. “O cenário do anticristo está sendo formado e as peças já estão sendo montadas. E nós, crentes, seguidores de Yeshua, temos que estar fortes e acompanhando. O Senhor está revelando aos santos os acontecimentos”.

Assista:

veja também