Primeiro-ministro de Israel exige 'mudanças reais' em acordo nuclear com Irã

Benjamin Netanyahu assegurou que Israel fará o possível para impedir a 'nuclearização do Irã'.

fonte: Guiame, com informações da CBN News

Atualizado: Quinta-feira, 25 Janeiro de 2018 as 10:25

Benjamin Netanyahu conversa com Paul Kagame, presidente de Ruanda. (Foto: GPO)
Benjamin Netanyahu conversa com Paul Kagame, presidente de Ruanda. (Foto: GPO)

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu se encontrou com chefes de estado no Fórum Econômico de Davos, na Suíça, na última quarta-feira (24), para pedir que as mudanças no acordo nuclear com o Irã sejam mais que "cosméticas" e sim "reais, de fato".

O presidente dos EUA, Donald Trump, deu ao acordo "uma última chance" antes de recolocar as sanções econômicas contra o Irã, suspensas anteriormente pelo acordo facicilitado pelo governo Obama, em conjunto com outras nações.

Netanyahu enfatizou esse ponto com a chanceler alemã Angela Merkel.

Enquanto os dois concordaram em discordar sobre como alterar o acordo, ele disse que "entendeu" que a aliança "ameaça a existência" de Israel, informou o site de notícias israelense 'YNet'.

Por sua parte, Netanyahu disse que Merkel "provou falta compromisso" com Israel no passado, e ele ficou "satisfeito com as posições de Israel".
 
Além das mudanças necessárias no acordo nuclear, Netanyahu também falou sobre o fortalecimento dos laços econômicos com Israel.

Em seu encontro com o presidente suíço Alain Berset, a criação de oportunidades de cooperação econômica bilateral encabeçou a agenda.

Com o primeiro-ministro canadense Justin Trudeau, Netanyahu discutiu a atualização do acordo de livre comércio e acelerando os contatos sobre o assunto.

Ele também se encontrou com o ministro das Finanças da Guatemala, Julio Hector Estrada, o presidente francês Emanuel Macron, o primeiro-ministro da Bélgica, Charles Michel, e o presidente do Azerbaijão, Ilham Aliyev, entre outros.

Em cada reunião, Netanyahu firmou a posição de Israel em impedir a "nuclearização" do Irã, apontou as falhas do acordo e falou sobre como lidar com elas, fazendo destas questões parte fundamental da discussão.

Ele pediu aos líderes que usem a oportunidade criada pela declaração de Trump, reiterando repetidamente que Israel não permitirá que o Irã estabeleça uma presença militar na Síria.

"Israel está trabalhando para evitar isso", disse Netanyahu.

O Primeiro-ministro de Israel falou sobre a mudança do Oriente Médio e a oportunidade que essas mudanças estão criando.

Ele também assinou um acordo com o presidente de Ruanda, Paul Kagame, a quem ele felicitou por assumir a presidência da União Africana.

Os dois homens também falaram sobre migrantes sudaneses e eritreus que deixarão Israel para construir suas casas em Ruanda. Ambos os líderes concordaram que só aceitariam um processo que cumpra plenamente com o direito internacional. Eles discutiram uma ampla gama de questões, incluindo formas de expandir a cooperação entre os dois países.

Netanyahu também disse que não compromete as necessidades de segurança de Israel em qualquer acordo futuro com os palestinos.

veja também