507 famílias de cristãos iraquianos fugiram de Mossul

507 famílias de cristãos iraquianos fugiram de Mossul

Atualizado: Quarta-feira, 8 Dezembro de 2010 as 4:31

A Portas Abertas Internacional recebeu uma mensagem de um cristão iraquiano no norte do Iraque, sobre o êxodo dos cristãos:

"O êxodo dos cristãos do Iraque continua e 507 famílias desembarcaram no Curdistão, onde as condições de segurança são relativamente estáveis. Muitas famílias fugiram mais diretamente no exterior, principalmente para a Síria, Jordânia e Turquia”, escreve Bari, um cristão iraquiano em Bagdá.

Ele continua: "Aqueles que fogem ao Curdistão são deportados por terem baixa renda e por conta disso, não será mais fácil para eles sobreviverem em um país estrangeiro. Mas o norte curdo do Iraque é ainda mais caro do que países como a Síria. As rendas são extremamente caros e preços de moradias mais caras do que em outras partes do Iraque".

"O grande êxodo começou depois que dezenas de cristãos iraquianos foram mortos em uma igreja em Bagdá, enquanto assistiam à missa", escreve o Bari. "A maioria das pessoas começou a ir para o norte curdo, apesar dos apelos para que ficassem, muitos cristãos iraquianos sentem que não têm futuro no país.

Igrejas em Bagdá, dizem estar quase vazias, com altos clérigos cristãos temendo que o país esteja em vias de perder a sua minoria cristã. Bagdá foi a última cidade ainda com uma grande comunidade cristã, mas milhares de pessoas têm fugido mais recentemente por conta da onda de violência anticristã ", declara o cristão.

Bari conclui em sua mensagem: "Mosul, outra cidade com uma grande minoria cristã, é tão violenta que um dos arcebispos da cidade declarou que a cidade se tornou perigosa para os cristãos permanecerem. Mosul foi a cidade das igrejas, mas muitas delas foram abandonadas e algumas transformadas em delegacias de polícia ou habitadas por posseiros. "

Tradução: Carla Priscilla Silva

veja também