Adventistas definem regiões da Janela 10/40 onde missionários servirão

Adventistas definem regiões da Janela 10/40 onde missionários servirão

Atualizado: Segunda-feira, 28 Novembro de 2011 as 2:07

Já foram definidas as regiões para onde vão os quatro pastores adventistas sul-americanos escolhidos para servir durante um determinado tempo como missionários em região denominada pelos cristãos como Janela 10/40 (onde predomina população de maioria muçulmana, judaica, hinduísta e de outras religiões não cristãs). Em outubro desse ano, o pastor Homer Trecartin, presidente de uma nova região administrativa adventista que compreende uma área territorial de 21 países com uma população de 500 milhões de pessoas (de minoria cristã), apelou a líderes adventistas em uma reunião administrativa que ajudassem nessa missão especial. A resposta foi imediata, pois o pastor Erton Köhler, presidente da sede sul-americana, comunicou que quatro pastores seriam disponibilizados. A previsão é que, nos próximos dias, já se saibam quais são essas quatro famílias, contudo os locais para onde eles vão já são conhecidos. A ideia é que os missionários sirvam nas seguintes regiões: norte do Chipre, Iêmen, Sudão e Cairo, capital do Egito.

 No norte do Chipre, país europeu do mediterrâneo que faz fronteira com Grécia e Turquia, não há registro oficial de igrejas adventistas estabelecidas. O Iêmen, país asiático, é caracterizado por ser uma região de conflitos tribais, mas conta com uma presença de vários trabalhadores da Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (ADRA) em seu território. Já o Sudão, recentemente dividido politicamente com a independência da parte sul do país, possui alguma presença adventista oficial. A cidade de Cairo, capital do Egito, é destaque negativo atualmente nas reportagens internacionais por causa dos conflitos que ainda ocorrem por conta do governo provisório que substitui ao ditador Hosni Mubarak, que saiu do cargo no início desse ano durante as manifestações populares da chamada Primavera Árabe. Nessa cidade histórica, os adventistas mantêm algumas instituições educacionais e congregações.

veja também