Agências cristãs respondem a catástrofes naturais no Sri Lanka

Agências cristãs respondem a catástrofes naturais no Sri Lanka

Atualizado: Quarta-feira, 19 Janeiro de 2011 as 8:22

Como o Sri Lanka enfrenta o seu pior desastre natural desde o tsunami de 2004, a Caritas Internationalis tem apoiado cerca de 100 mil pessoas afetadas pelas fortes chuvas.

"Algumas áreas são de difícil acesso e as pessoas estão presas lá. Rios estão transbordando, as barragens se quebraram e as principais estradas não podem ser usadas", relata o Pr. George Sigamoney, secretário-geral da Caritas em Sri Lanka.

Mais de um milhão de pessoas foram afetadas nos distritos de Batticaloa, Trincomalee e Amparai, no leste, mas as chuvas também têm causado problemas nas regiões Norte e Central do país.

A ONU estima que 390 mil pessoas estejam desabrigadas, enquanto pelo menos 37 foram mortas.

As chuvas torrenciais começaram a desfazer alguns dos progressos realizados na recuperação do país desde o fim da guerra.

"No Nordeste centenas de agricultores começaram a cultivar os seus campos novamente depois da guerra. Mas estes esforços se transformaram em inúteis porque as chuvas continuam a flagelar as áreas de cultivo do arroz", explicou o Pr. Sigamoney.

"Muitas casas de nossos programas de abrigo foram danificadas pelas cheias também."

A agência de ajuda humanitária alerta que mesmo alguns dos acampamentos temporários criados para as vítimas das enchentes foram inundados.

Ele lançou um apelo para ajudar a enviar pacotes de alimentos contendo arroz, farinha, sabão, açúcar e outros itens essenciais para as vítimas.

Já o Ministério Visão Mundial disse que, sem nenhum sinal de parada para as chuvas, as pessoas ainda esperam ajuda nos próximos dias.

"Este é um dos piores desastres naturais que atingiu o país nos últimos tempos", disse Suresh Bartlett, diretor da Visão Mundial do Sri Lanka.

"Há devastação em todos os lugares, muitas comunidades perderam seus meios de subsistência e precisam desesperadamente de comida, água e outros itens humanitários."

Christian Aid também cita as Filipinas como uma área de preocupação. Inundações nas últimas semanas, já mataram mais de 40 pessoas e afetou aproximadamente um milhão.

No Brasil, mais de 600 pessoas foram mortas pelas chuvas torrenciais que provocaram enchentes e deslizamentos de terra, e em alguns lugares destruiu bairros inteiros.

As igrejas locais abriram suas portas para abrigar algumas das pessoas que ficaram desabrigadas por deslizamentos de terra.

veja também