Andressa Urach faz ação em tribo indígena: “Levando a palavra de Deus”

Em visita a uma tribo indígena em Porto Alegre, Andressa Urach levou doações e a mensagem do Evangelho.

fonte: Guiame

Atualizado: Quinta-feira, 26 Setembro de 2019 as 8:59

Andressa Urach visitou uma tribo indígena para levar cestas básicas e a mensagem do Evangelho. (Foto: Reprodução/Instagram)
Andressa Urach visitou uma tribo indígena para levar cestas básicas e a mensagem do Evangelho. (Foto: Reprodução/Instagram)

Andressa Urach visitou uma tribo indígena no último domingo (22) em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, para levar cestas básicas e a mensagem do Evangelho.

“Levando a palavra de Deus para a tribo indígena Aldeia Charrua Polidoro, em Porto Alegre”, disse Andressa na legenda de um vídeo publicado no Instagram.

Nas imagens, ela aparece ao lado de Acuab, primeira mulher cacica-geral do povo charrua e principal liderança na aldeia Polidoro. “Viemos fazer uma oração pela senhora”, disse Andressa no vídeo.

Ela esteve acompanhada do bispo Freitas, da Igreja Universal do Reino de Deus, e outros membros da denominação. Juntos eles ministraram a palavra de Deus e levaram roupas e alimentos.

“Vamos tomar um café agora. A gente não tinha café, não tinha açúcar, não tinha nada, mas nossa fé [está no céu]. E agora vamos tomar um café de verdade. Que Deus abençoe a Universal e as outras igrejas”, disse Acuab.


Andressa Urach visitou uma tribo indígena para levar cestas básicas e a mensagem do Evangelho. (Foto: Reprodução/Instagram)

Em 2008, a cacica conseguiu entregar um documento com o pedido de reconhecimento de seu povo, que seria oficializado pela Funai em setembro de 2007. No ano seguinte, a prefeitura transformou 

Cerca de nove famílias vivem na aldeia Polidoro, de acordo com a BBC Brasil. A área de 8,6 hectares, na zona sul de Porto Alegre, foi transformada em reserva indígena municipal em 2008, depois de ser oficializada pela Funai no ano anterior.

O grupo vive sob condições precárias de moradia, em pequenas casas de madeira e chão batido. Parte dos índios vivem de doações e trabalham com a produção de artesanato e cultivo de frutas, legumes e raízes como mandioca. 

Nas redes sociais, Andressa fez um apelo para doações em favor da tribo. “Quem puder nos ajudar com doação de roupas e alimentos para levar pra eles, pois passam muita necessidade, me procura na catedral da Av. Júlio de Castilhos 607, centro! Domingo 9h. Ou visita a tribo e ajuda eles com doações que Deus vai te retribuir mil vezes mais”. 

veja também