Brasileiros enxergam positivamente empresas socialmente responsáveis

Brasileiros enxergam positivamente empresas socialmente responsáveis

Atualizado: Quarta-feira, 2 Abril de 2008 as 12

Brasileiros enxergam positivamente empresas socialmente responsáveis

A Market Analysis, instituto de pesquisa e opinião pública, apresentou os resultados da pesquisa "Responsabilidade Social das Empresas - Percepção do Consumidor Brasileiro", em parceria com o Instituto Akatu de Responsabilidade Social e o Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social. O estudo analisou a evolução da percepção dos consumidores sobre o papel das corporações na sociedade e suas expectativas em relação aos impactos sociais e ambientais produzidos por elas. Os dados se integram ao levantamento global feito em mais de 20 países sob a coordenação do Instituto GlobeScan.

De acordo com a pesquisa, o interesse do brasileiro por ações de responsabilidade social se manteve estável nos últimos cinco anos. Segundo o estudo, o consumidor valoriza a parceria de empresas com ONGs, e sabe que tem o poder de influenciar as companhias.

Segundo Fabian Echegaray, diretor da Market Analysis, foi constatado também que os consumidores de países desenvolvidos tendem a avaliar o desempenho de Responsabilidade Social das Empresas (RSE) de forma mais crítica, enquanto os países em desenvolvimento têm uma visão mais positiva.

Embora a visão do brasileiro seja positiva, o estudo também faz um alerta para a desinformação do consumidor e os sinais de seu ceticismo em relação à atuação das empresas empenhadas nas ações de Responsabilidade Social. "Existe uma alta expectativa quanto ao tema e uma associação positiva a um papel social", avalia o diretor . "Porém, a pesquisa indica a desconfiança da população sobre o engajamento das companhias, que as realizam e desenvolvem como ações de marketing, em busca da melhoria de sua imagem junto ao consumidor", afirma.

O levantamento no Brasil teve como base uma amostra de 800 consumidores, com entrevistas presenciais em seus domicílios. Foram entrevistados adultos entre 18 e 69 anos, residentes nas oito principais capitais do país: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Salvador, Recife e Brasília. É importante destacar que as entrevistas foram realizadas antes da divulgação dos relatórios do IPCC em 2007. Assim, não incorporam os reflexos da grande cobertura do tema "aquecimento global" pela mídia.

veja também