Centro de treinamento missionário na Ucrânia fortalece missionários

Centro de treinamento missionário na Ucrânia fortalece missionários

Atualizado: Terça-feira, 5 Julho de 2011 as 11:43

A primavera chegou ao Leste Europeu e com ela um verdadeiro presente que os missionários de Missões Mundiais na Ucrânia, o casal Pr. Anatoliy e Iryna Shmilikhovskyy, tanto esperavam: o Centro de Treinamento para Missionários, em parceria com três províncias da Ucrânia Ocidental: Lviv, Volynh e Ryvne. Não se trata de um espaço físico, pois, segundo os missionários, ainda não há condições para isso. Mas é um período de três dias, quando, a cada seis meses, equipes de plantadores de igrejas recebem material bíblico atualizado de acordo com a cultura local e com ênfase prática.

A primeira sessão aconteceu entre os dias 24 e 26 de março, em Lutsk, e reuniu 21 equipes com um total de 50 plantadores de igrejas, vindos de quatro Estados do oeste da Ucrânia. Foram abordados temas como: A visão de Deus para a Igreja; Valores de Ministério; Círculo de Responsabilidade e Estratégia.

Depois de cada palestra eram discutidas situações para as quais cada grupo deveria apresentar a sua visão. Além disso, todos deveriam apresentar os passos reais de como alcançar os objetivos em seus próprios ministérios locais. “Foi muito interessante ver os diferentes contextos, onde uns trabalham com crianças, outros com dependentes químicos, outros com população jovem ou adulta”, revela o Pr. Anatoliy. Segundo o missionário, o principal objetivo não foi dar respostas para tudo e todos, mas fazer os obreiros pensarem nas Escrituras e na sua realidade.

O segundo módulo acontecerá na cidade ucraniana de Lviv, onde moram os missionários, entre os dias 15 e 17 de setembro. Atualmente, o trabalho na província de Lviv tem cinco frentes missionárias e há igrejas locais sustentando cada projeto. Ainda neste ano, o Pr. Anatoliy pretende abrir mais cinco trabalhos nas cidades estratégicas do Estado. “Procuro investir na liderança e na formação do Departamento de Missões e, dentro de três anos, pretendo deixar um líder neste ministério”, disse o obreiro da JMM. Ele pede aos irmãos brasileiros que orem, pois o trabalho precisa avançar no Leste Europeu.  

veja também