Chineses memorizam a Bíblia porque o governo ‘não pode tirar o que está no coração’

O relato foi feito pelo pastor Wayne Cordeiro, que lidera uma igreja no Havaí, após uma experiência com líderes cristãos na China.

fonte: Guiame, com informações do Faithwire

Atualizado: Segunda-feira, 10 Junho de 2019 as 1:57

Cristãos chineses decoram as Escrituras porque sabem que ninguém pode roubar o que está em seus corações. (Foto: Voice of the Martyrs)
Cristãos chineses decoram as Escrituras porque sabem que ninguém pode roubar o que está em seus corações. (Foto: Voice of the Martyrs)

Depois de uma viagem à China, o pastor Wayne Cordeiro, da igreja New Hope Christian Fellowship em Honolulu, no Havaí, está incentivando as pessoas a se tornarem mais parecidas com os cristãos chineses.

Em uma pregação, o pastor compartilhou uma experiência que teve na China, onde fez um treinamento para  22 líderes da província de Hunan.

O treinamento aconteceu em um quarto de hotel de 65 metros quadrados, sem sofás ou ar condicionado. “Se formos pegos o que vai acontecer comigo?”, Cordeiro começou perguntando.

“Você será deportado em 24 horas e vamos para a prisão por três anos”, responderam os cristãos chineses.

O pastor prosseguiu perguntando quantos já haviam sido presos. Dos vinte e dois, 18 disseram que tinham sido presos por causa de sua fé.

Em seguida eles começaram o estudo bíblico com base no livro de 2 Pedro. Ele só tinha quinze Bíblias, então sete pessoas ficaram sem.

“Eu disse vire para 2 Pedro 1, vamos ler. Então uma senhora entregou a Bíblia dela para uma pessoa ao lado, e eu pensei ‘humm interessante’”, compartilhou Cordeiro.

Assim que começaram a ler, o pastor logo percebeu por que ela havia dado a Bíblia porque memorizou todo o livro.

“Quando o estudo terminou, fui até ela em um intervalo e disse ‘você recitou o capítulo inteiro’”, contou Cordeiro. “Na prisão, você tem muito tempo”, ela respondeu. “Eles não confiscaram a Bíblia?”, ele perguntou.

A mulher revelou que era confiscado todo tipo de material cristão, mas a Bíblia escrita em papel era contrabandeada e escondida dos guardas de prisão.

“É por isso que nós memorizamos isso o mais rápido possível, porque mesmo que eles possam levar o papel embora, eles não podem pegar o que está escondido em nosso coração”, ela compartilhou com o pastor.

Pedido inusitado

Depois que o estudo de três dias foi concluído, o pastor disse que os cristãos chineses pediram uma oração para que eles tivessem a fé parecida com a dos americanos. Mas Cordeiro se negou.

“Vocês pegaram um trem por treze horas para chegar aqui. No meu país, se você tiver que dirigir por mais de uma hora, as pessoas não vão. Vocês sentaram no chão de madeira por três dias. No meu país, se as pessoas tiverem que ficar sentadas por mais de 40 minutos, elas vão embora”, explicou Cordeiro.

“Vocês ficaram aqui por três dias em um piso de madeira dura. No meu país, se não há bancos acolchoados e ar condicionado, as pessoas não voltam. No meu país, temos uma média de duas Bíblias por família, não lemos nenhuma delas. Vocês dificilmente têm Bíblias e as memorizam em pedaços de papel”, continuou o pastor.

“Eu não vou orar para que vocês se tornem como nós, mas vou orar para que nos tornemos como vocês”, completou.

veja também