Colômbia: Cristãos presos são ameaçados para que renunciem sua fé

Colômbia: Cristãos presos são ameaçados para que renunciem sua fé

Atualizado: Segunda-feira, 28 Dezembro de 2009 as 12

A organização CSW pede que o governo colombiano intervenha para que 26 cristãos pertencentes a um grupo nativo sejam soltos. Eles foram presos pelas autoridades locais há mais de um mês, e têm sofrido muita pressão para que renunciem sua fé.

O grupo, que inclui mulheres e crianças (de seis meses) da população Kogui, foram levados à força e estão sendo mantidos nas terras kogui nas montanhas de Sierra Nevada. As autoridades, sob a liderança do governador José de los Santos Sauna Limaco, disseram que os cristãos não serão soltos até que se submetam aos rituais de reconversão para a crença tradicional do país.

O governador não permitiu que o grupo de cristãos deixasse a reserva Kogui para praticar sua religião fora da área, e agora ameaça os cristãos que permaneceram na reserva, dizendo que serão forçados a se ''reconverterem'' também.

O governo colombiano está demorando a agir, fazendo referência à Lei de Autonomia, que permite que os grupos indígenas pratiquem sua própria lei em cada reserva. No entanto, um grupo de políticos colombianos, ativistas de direitos humanos e advogados assumiu o caso, afirmando que a autonomia não pode ser um pretexto para violar os direitos humanos fundamentais.

Tina Lambert, uma das diretoras da CSW, disse: ''O fato é que esses homens, mulheres e crianças estão sendo privados de seus direitos mais básicos, e com o conhecimento do governo colombiano. Lembramos as autoridades e o governador Sauna Limaco que os prisioneiros são cidadãos da Colômbia e pedimos que tanto o governo quanto as autoridades Kogui libertem os prisioneiros. Também pedimos que o governo colombiano garanta a liberdade dos membros de todos os povos indígenas no país, para que possam exercitar seus direitos básicos, seguindo a constituição colombiana e a Convenção de Direitos Humanos''.

veja também