Coluna - Bispo César Brazil:A igreja que Jesus desejou na cruz

Coluna - Bispo César Brazil:A igreja que Jesus desejou na cruz

Atualizado: Sexta-feira, 14 Novembro de 2008 as 12

Quando paramos para ler sobre a igreja descrita em Atos dos Apóstolos, identificamos a igreja que Jesus desejou quando estava na cruz. Vemos uma igreja que cresceu muito: de 120 subiu para três mil membros num único evento; algo inimaginável a todos.  E esta igreja conseguiu reter seus membros por um tempo bem razoável.  Igreja que com certeza pode ser chamada por todos nós como "Igreja Mater", pois tinha várias características que Jesus amava. Sua mensagem era forte e desafiadora.  Sua mensagem batia de frente com o pecado e desafiava o pecador.  A mensagem da igreja que Jesus desejou confrontava o pecado. O texto bíblico em Atos 2:12 mostra que sua mensagem fazia com que os ouvintes ficassem atônitos, perplexos a ponto de estimular várias interpelações entre eles.

Lemos que Pedro, revestido de poder, juntos com os onze se levantou e com voz forte fez sérias advertências e confrontações (Atos 2:12,14,22,23,24). E após confrontar, desafiava: "...arrependei-vos. E cada um de vós seja batizado em nome de Jesus para remissão dos vossos pecados..." (Atos 2:38)  

Observamos na passagem que a mensagem confrontava, batia de frente com o pecado mas estimulava as pessoas a mudarem. Vemos que os ouvintes compungiam-se em seus corações (Atos 2:37). Compungir, no original, tem o sentido de furar com agulhas, ou seja, a pregação tocava profundamente.

O pregador não pregava para agradar platéia, a pregação ouvida na igreja desejada por Jesus não estava comprometida com massageamento do ego dos ouvintes.  Seu compromisso era produzir discípulos interessados em produzir outros discípulos para Jesus.

Todos nós sabemos que pregar para agradar não produz discípulos. Se pregarmos para agradar, destruiremos a igreja. Pois somente a pregação genuína e verdadeira é capaz de produzir discípulos. Nossa proposta é levar o leitor a refletir sobre o evangelho. O evangelho que Jesus pregou é aquele proferido no poço de Jacó para a mulher Samaritana. Jesus olhou para a mulher e foi direto ao assunto (João 4:10 ao 19). A mulher ficou admirada e disse: "vejo que o Senhor é profeta". O texto diz que a mulher entrou na cidade e disse: "...vinde e vede" (Atos 4:29). Veja que esta foi a primeira missionária em terras Samaritanas. No caso de Nicodemos, Jesus foi direto ao ponto (João 3:3): "...Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo não pode ver o reino de Deus".

A igreja que Jesus desejou não privilegia pequenos grupos. Temos visto vários absurdos no meio gospel. Um grande número de líderes inatingíveis, verdadeiros artistas, que só se assentam em mesas com famosos e ricos.  Igrejas com grupinhos fechados e territórios demarcados.  A igreja que Jesus desejou foi descrita por Ele mesmo em João 17, como uma igreja unida com a consciência de que somos um. Igreja disposta a dividir, a matar a fome, igreja que se engaja numa luta integral.  Tenham certeza que há tempo para restauração. Há tempo para mergulharmos no desejo de Jesus, há tempo para vivenciarmos um cristianismo restaurador, transformador e salvador.

Há tempo de restaurarmos nossa pregação.

César Brazil é bispo, Presidente da Comunidade Cristã internacional Lugar de Vida. Missionário, escritor e palestrante. Diretor do CIEAB- Regional Zona Leste/Cidade Tiradentes, Diretor de Comunicação Social do IAAD. Em missões, já viajou diversos países do Oeste da África e também da Europa. Lecionou sobre Serviço Social na Fatap (Faculdade Teológica Adventista da Promessa).

veja também