Coluna - Jailson Serpa

Coluna - Jailson Serpa

Atualizado: Segunda-feira, 14 Julho de 2008 as 12

Coluna - Jailson Serpa

Amarás ao Senhor teu Deus acima de todas as coisas... isso é missão

Gostaria de convidá-los a uma reflexão e abordagem práticas sobre as implicações do nosso compromisso com Deus baseado em João 21.15-17.

Creio que antes de realizar algo através de nossas vidas, Deus deseja realizar algo em nós. Creio também que o serviço prestado a Deus deve estar condicionado mais ao nosso amor por Ele do que o desejo e a vocação que temos.

Como nos relacionamos com Ele?

Qual a intensidade do amor que nutrimos para com Ele ?

São questões que não podemos deixar de responder, pois disso depende a qualidade do serviço que Lhe oferecemos e isso é missão (trabalho missionário).

Ao observar as respostas de Jesus, após cada resposta de Pedro, vemos que o Mestre por excelência, cheio de Sua graça, lhe abre a porta da restauração apostólica, restaurando sua alma, seu ministério, dizendo: Pedro, quero que você continue me servindo! Pedro, apesar de tudo que aconteceu, eu não desisti de você! Pedro, quero você ao meu lado. Pedro!  O seu serviço a Deus deve ser motivado pelo amor a Ele!

Entendemos que o serviço ao próximo é uma prática inerente ao cristianismo e o amor está intimamente ligado ao cristianismo, então, serviço sem amor é uma mera atividade, uma ação generosa desprovida do seu essencial. A ausência desta, que deve ser nossa marca registrada como cristãos, tem nos feito provar frutos amargos.

Conta-se que Mahatman Gandhi, conhecido como o fundador da índia moderna, quando estudante de advocacia em Londres se deparou com os evangelhos e viu neles a solução para o problema racial vivido em seu país. Decidiu procurar uma igreja cristã, a fim de obter informações quanto àquela palavra que fervia em seu coração, que o havia incomodado. Ao se aproximar de uma igreja, desejando entrar, a comissão de recepção lhe negou um assento no templo mandando-o procurar uma igreja de sua raça...

Qual a palavra que utilizaríamos para definir o cristianismo que pregamos ? Amor!

Qual a palavra que utilizaríamos para definir o cristianismo que vivemos? Amor ?

Olhando I João 4.7-19 um referencial para a prática do amor cristão.

O amor é destemido, ousado e possuímos o Amor do Pai em nós insuflado, sugestionado, induzido, instigado ( Rm. 5.5 ). O amor não teme caminhar com pecadores, afinal de contas, Jesus foi considerado amigos de publicanos e pecadores ( Mt. 11.19 ). Isso é missão!

Sempre me pergunto, qual a intensidade do meu amor para com o meu Deus; até onde vou por amor ao meu Deus; o que sou capaz de fazer por amor ao meu Deus; o que renunciaria por amor ao meu Deus; Porque o sirvo ?  Porque o louvo ?

Conta-se que, todos os dias, uma senhora caminhava por sua aldeia carregando em uma das mãos um balde com água e na outra uma tocha acesa. Certo dia, um grupo de jovens a inquiriu perguntando: Porque a senhora pratica este ritual em nossa aldeia ?

Meus filhos, respondeu a senhora, eu gostaria que, com este balde d?água, o inferno fosse apagado e com esta tocha acesa, o céu fosse incendiado, para que ninguém servisse a Deus com medo do inferno ou pelos privilégios do céu, mas unicamente por amor.

Se não existisse céu, se não existisse inferno, serviríamos a Deus POR AMOR ?

Reflitamos na qualidade do serviço que estamos lhe prestando, pois isso é missão.

Um forte abraço!

Jailson Serpa Pereir a é pastor, bacharel em teologia e missionário. Esteve entre os muçulmanos (no Senegal) por sete anos, trabalhando com plantação de igrejas. Foi estrategista e orientador pastoral da JMM (Junta de Missões Mundiais) no oeste africano. Atualmente é representante da JMM no nordeste brasileiro.

veja também