Coluna - Jorgina Mikita Pawlak : Exercício de paz na primavera

Coluna - Jorgina Mikita Pawlak : Exercício de paz na primavera

Atualizado: Terça-feira, 16 Setembro de 2008 as 12

Coluna - Jorgina Mikita Pawlak

Exercício de paz na primavera 

"Glória a Deus no mais alto dos céus e paz na Terra aos homens por ele amados." - Lucas 2.14 

2008: Há uma odisséia no coração do homem do novo milênio ... pânico generalizado nas grandes cidades do Planeta; a violência urbana provoca o silêncio da humanidade. O medo está no ar ...  

O astronauta ficou com medo de não poder mais voltar para o Planeta Terra, e orou silenciosamente em seu coração. 

O bombeiro ficou com medo do fogo,  e orou silenciosamente em seu coração. 

O caminhoneiro ficou com medo das estradas,  e orou silenciosamente em seu coração. 

O desenhista ficou com medo dos seus desenhos,  e orou silenciosamente em seu coração. 

O escritor ficou com medo dos seus personagens,  e orou silenciosamente em seu coração. 

O farmacêutico ficou com medo dos seus remédios,  e orou silenciosamente em seu coração. 

O garçom ficou com medo dos seus copos,  e orou silenciosamente em seu coração.

O humorista ficou com medo das suas piadas,  e orou silenciosamente em seu coração. 

O iluminador ficou com medo das suas luzes, luzes que levavam para as trevas, e orou silenciosamente em seu coração. 

O jardineiro ficou com medo das suas flores,  e orou silenciosamente em seu coração. 

O locutor de rádio ficou com medo de perder a voz, e orou silenciosamente em seu coração. 

O médico legista ficou com medo de examinar cadáveres, e orou silenciosamente em seu coração. 

O navegador ficou com medo de se perder no mar, e orou silenciosamente em seu coração. 

O operário ficou com medo de cair do alto do prédio em construção, e orou silenciosamente  em seu coração. 

O policial ficou com medo da sua arma de fogo, e orou silenciosamente em seu coração. 

O químico ficou com medo de manipular suas fórmulas, e orou silenciosamente em seu coração. 

O repórter ficou com medo da notícia, e orou silenciosamente em seu coração. 

O sapateiro ficou com medo dos sapatos, e orou silenciosamente em seu coração. 

O taxista ficou com medo do táxi, e orou silenciosamente em seu coração. 

O violonista ficou com medo das partituras, e orou silenciosamente em seu coração. 

O xiita ficou com medo da grande invasão, e orou silenciosamente em seu coração. 

O zoólogo ficou com medo dos animais, e orou silenciosamente em seu coração. 

E Deus ouviu todos eles e permitiu que o homem fosse maior que o medo.  

É tempo de sonhar com os filhos de Levi; eles anunciarão a paz ao som de trombetas e sinos. 

É tempo de sonhar que em todos os continentes surgirão pequenas estrelas e milhares de pombas brancas que se aproximarão das crianças de todas as nações; as crianças de todas as nações rumarão para Jerusalém e dar-se-ão as mãos e formarão o desenho da estrela de Davi nas areias do deserto do Neguev, diante dos céus e da terra, ao meio dia, no auge da luz do sol.

É tempo de proclamar a mensagem de paz.

Shalom!

É tempo de pedir ao Deus de Abraão, Isaac e Jacó, e em nome de Jesus:

- Deus, não permita nunca que a violência urbana arranque a poesia das almas das crianças de Israel e do mundo.

Shalom!

Jorgina Alexandra Mikita Pawlak é diretora presidente da Organização Neo Humanitarismo Universalista. Pós-Graduada em Direito Talmúdico, pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.  

E-mail para contato: [email protected]

Mais informações: www.literaturaparacriancas.com.br

                              www.irmasmikitas.zip.net

veja também