Cristã admite blasfêmia perante o juiz e pode ser condenada à morte

Cristã admite blasfêmia perante o juiz e pode ser condenada à morte

Atualizado: Quinta-feira, 8 Abril de 2010 as 12

Rubina Amjad, uma cristã paquistanesa e mãe de três filhos, que foi acusada de fazer referências depreciativas ao profeta Maomé no mês passado, confessou ter cometido blasfêmia.

Rubina e sua vizinha começaram a discutir quando a cristã percebeu que a ghee (tipo de manteiga líquida usado na culinária indiana feita de leite de vaca ou búfalo e clarificado através de fervura), que ela havia comprado de sua vizinha muçulmana por US$ 7,59, estava adulterada (leia mais).

De acordo com o Centro de ajuda legal, assistência e assentamento (CLAAS), Rubina foi levada ao tribunal no dia 24 de março, quando ela admitiu sua culpa e foi levada para a prisão Gujranwala com seu filho de um ano.

O CLAAS teme que, em vista da confissão, o juiz a condene à morte, e por isso, pede oração para que Rubina seja solta.

veja também