Cristão está preso há 6 anos na Coreia do Norte por alimentar e evangelizar refugiados

O diácono Jang Moon Seok é norte-coreano, mas vivia na China, ajudando pessoas que fugiam da Coreia do Norte.

fonte: Guiame, com informações da CBN News

Atualizado: Quinta-feira, 29 Outubro de 2020 as 8:37

Jang Moon Seok atua como diácono em um ministério cristão na China, ajudando refugiados que fogem da Coreia do Norte. (Foto: Voz dos Mártires)
Jang Moon Seok atua como diácono em um ministério cristão na China, ajudando refugiados que fogem da Coreia do Norte. (Foto: Voz dos Mártires)

Um cristão foi sequestrado por agentes norte-coreanos enquanto estava na China em novembro de 2014 e está em um campo de trabalhos forçados na Coreia do Norte, desde então.

O porta-voz da organização cristã Voz dos Mártires (VOM), Todd Nettleton, disse ao site ‘Christian Post’ que o diácono Jang Moon Seok foi levado pelos agentes porque deu comida, roupas, uma cama quente e compartilhou o amor de Deus com os refugiados famintos, nus, com frio e desesperados que fugiram da Coreia do Norte pela fronteira.

Como a CBN News relatou, a VOM tem tentado interceder em nome de Seok. Eles lançaram uma campanha de envio de cartas em abril para levar o diácono de volta para casa.

"O diácono Jang, que também é conhecido pelo nome chinês Zhang Wen Shi, é um cidadão chinês de origem coreana, que foi sequestrado em novembro de 2014 na China e colocado em uma prisão norte-coreana", disse o representante da VOM Coreia, Dr. Hyun Sook Foley.

"Acreditamos que o motivo de seu sequestro foi para reunir informações sobre o trabalho do ministério norte-coreano que estávamos fazendo com o pastor Han", acrescentou Foley.

Jang foi levado pelos agentes norte-coreanos em 1º de novembro de 2014 por “difamar o regime norte-coreano”, “tentar incitar a subversão do poder do Estado” e por fornecer ajuda e compartilhar a mensagem do Evangelho aos norte-coreanos. Ele foi condenado a 15 anos de prisão.

“A expectativa de vida em um campo de prisioneiros na Coreia do Norte é de menos de 15 anos”, disse Nettleton ao PC.

Foley disse que o diácono "é um homem simples, que nunca fez nada político. Ele apenas ajudou o povo norte-coreano por muitos anos. Isso nunca deveria ser um crime, e os cristãos deveriam se unir para ajudar o diácono Jang e sua família".

Muitos norte-coreanos receberam a mensagem de Jang e se tornaram cristãos, voltando com frequência à casa dele para mais aulas bíblicas. Ele os ensinou como compartilhar sua fé com outras pessoas, especialmente com suas famílias.

"Estamos profundamente preocupados com a prisão de prisioneiros de consciência pela Coreia do Norte, como o diácono Jang Moon Seok. A Comissão dos Estados Unidos sobre Liberdade Religiosa Internacional adotou o diácono Jang como parte de seu Projeto de Prisioneiros de Consciência Religiosos", disse um porta-voz do Departamento de Estado dos EUA.

veja também