Cristão ministra soldados ucranianos na fronteira com a Rússia

Michael Evans tem trabalhado com judeus em situação de pobreza na Ucrânia há 10 anos. Desta vez, ele ministrou em um ambiente de tensão.

Fonte: Guiame, com informações do Charisma NewsAtualizado: terça-feira, 8 de fevereiro de 2022 12:45
Michael Evans tem trabalhado com judeus na Ucrânia há 10 anos. (Foto: Michael Evans)
Michael Evans tem trabalhado com judeus na Ucrânia há 10 anos. (Foto: Michael Evans)

Michael Evans, que está à frente do movimento Jerusalem Prayer Team (em português: Equipe de Oração de Jerusalém) já viu de perto os horrores da guerra. Durante o conflito da Faixa de Gaza, ele ministrou em áreas onde foguetes e mísseis explodiram em Israel.

Esta semana, no entanto, Evans teve uma experiência muito diferente. Ele foi à Ucrânia para entregar comida, roupas e suprimentos médicos para judeus que vivem em condição de pobreza do país, mas acabou tendo a oportunidade de ministrar a soldados ucranianos que estão na fronteira com a Rússia, que enfrentam a possibilidade de enfrentar mais de 100.000 soldados russos.

Em entrevista ao Charisma News, Michael Evans diz que estar em um local que está à beira de uma guerra foi “assustador”, mas ao mesmo tempo, sua decisão de estar lá foi tomada em oração e ele sentiu paz.

“Eu guardei em meu coração o que o Espírito Santo estava falando comigo, e era Jeremias 29:11, sobre o Senhor ter planos de dar a mim esperança e um futuro. Eu senti o Senhor falar isso ao meu coração, e isso me consolou”, disse Michael.

Michael é filho de Mike Evans, fundador do Friends of Zion Heritage Center em Jerusalém, que faz ponte entre cristãos e Israel, e também fundador do Jerusalem Prayer Team.

Ao relatar sua experiência na fronteira entre Rússia e Ucrânia, Michael diz que foi uma honra estar em uma zona de risco para ministrar aos soldados.

“Esses caras são muito corajosos e muito fortes”, disse Evans. “Há mais de 130.000 soldados russos, então não há dúvida de que a Ucrânia está em menor número nesta luta. É uma coisa de Davi contra Golias, com certeza. Eu não vi nenhum tanque ou grande artilharia, mas os soldados russos estavam armados com artilharia muito mais pesada do que os ucranianos.”

Oração pelos ucranianos

Michael disse que, com a ajuda de um intérprete, teve a oportunidade de orar “pela paz e pela proteção de Deus sobre eles”. 

“Eles foram muito receptivos ao que eu estava dizendo. Conheço muitos aqui que não seriam receptivos ao Evangelho em tempos de paz, muito menos em tempos de guerra”, observou.

Embora Michael pudesse sentir a apreensão, ele conta que nenhum soldado compartilhou seu medo com ele. “Você pode sentir a tensão não apenas na fronteira, mas em toda a Ucrânia. A maioria das pessoas aqui tem medo do que pode acontecer. Mas eles têm um plano de fuga, sacos cheios de comida, suprimentos médicos e outras coisas. Eles podem fugir para a família na Europa ou ir para outros lugares, como as montanhas.”

Michael observa que a Ucrânia é o país que reúne a comunidade mais pobre de judeus do mundo. A Friends of Zion atua na Ucrânia há mais de 10 anos e ele já fez diversas visitas à nação.

“Essas pessoas sofreram os horrores do Holocausto e muitas vezes são esquecidas, vivendo na pobreza”, conta Michael. “É uma honra e uma alegria servir a essas pessoas, bem como aos órfãos deste país. São pessoas especiais e devemos amá-las da maneira que Jesus amaria.”

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições