Cristãos coreanos esperam melhora para liberdade religiosa

Cristãos coreanos esperam melhora para liberdade religiosa

Atualizado: Sexta-feira, 1 Outubro de 2010 as 8:16

A Coreia do Norte é um país fechado, mas a informação que veio à tona é a de uma possível mudança na liderança de Kim Jong-Il, que passará o cargo a seu terceiro filho. A orientação religiosa do líder atual não é conhecida, mas os cristãos esperam que as condições melhorem para a liberdade religiosa na Coreia do Norte, já que o país se prepara silenciosamente para uma mudança na liderança.

Paul Estabrooks, da Portas Abertas Estados Unidos, foi recentemente à Coreia do Norte, onde um coronel militar liderou seu grupo de turistas também pela zona desmilitarizada (DMZ). O grupo orou pela Coreia do Norte e pelo coronel.

"Uma pessoa do nosso grupo disse: 'Vamos cantar a Doxologia'. Então, nós começamos a cantar: "Louvado seja Deus, de quem fluem todas as bênçãos", e uma lágrima começou a rolar no rosto do coronel. "Ele saiu para se recompor antes de voltar e continuar com a nossa viagem", conta Estabrooks.

Ele ainda conta que incidentes como este não são isolados e observa: "Sentimos que há um abrandamento, pelo menos para a espiritualidade, e nós esperamos que seja o início de uma mudança de atitude para com os cristãos no país".

A Coreia do Norte está no topo da lista de classificação de países por perseguição. Estima-se que cerca de 20 a 25% dos prisioneiros do país são cristãos, sendo que a maioria está lá por causa de sua fé. Estabrooks incentiva a igreja a orar fervorosamente pela igreja na Coreia do Norte e por um fim à perseguição.

A Coreia do Norte é um país fechado, mas a informação que veio à tona é a de uma possível mudança na liderança de Kim Jong-Il, que passará o cargo a seu terceiro filho. A orientação religiosa do líder atual não é conhecida, mas os cristãos esperam que as condições melhorem para a liberdade religiosa na Coreia do Norte, já que o país se prepara silenciosamente para uma mudança na liderança.

Paul Estabrooks, da Portas Abertas Estados Unidos, foi recentemente à Coreia do Norte, onde um coronel militar liderou seu grupo de turistas também pela zona desmilitarizada (DMZ). O grupo orou pela Coreia do Norte e pelo coronel.

"Uma pessoa do nosso grupo disse: 'Vamos cantar a Doxologia'. Então, nós começamos a cantar: "Louvado seja Deus, de quem fluem todas as bênçãos", e uma lágrima começou a rolar no rosto do coronel. "Ele saiu para se recompor antes de voltar e continuar com a nossa viagem", conta Estabrooks.

Ele ainda conta que incidentes como este não são isolados e observa: "Sentimos que há um abrandamento, pelo menos para a espiritualidade, e nós esperamos que seja o início de uma mudança de atitude para com os cristãos no país".

A Coreia do Norte está no topo da lista de classificação de países por perseguição. Estima-se que cerca de 20 a 25% dos prisioneiros do país são cristãos, sendo que a maioria está lá por causa de sua fé. Estabrooks incentiva a igreja a orar fervorosamente pela igreja na Coreia do Norte e por um fim à perseguição.

veja também