Cristãos de outras partes do país apoiam a igreja de Shouwang

Cristãos de outras partes do país apoiam a igreja de Shouwang

Atualizado: Sexta-feira, 9 Setembro de 2011 as 11:31

No domingo (28 de agosto), cinco membros de uma igreja doméstica de Fangshan, do município de Hebei, acordaram às 4 da manhã e viajaram por duas horas até uma praça pública em Pequim, para poder se unir aos irmãos da igreja de Shouwang, que não tem local próprio para culto e congrega em praças públicas.

Na chegada deles, às 7 da manhã, a polícia já os esperava para enviar os cinco à delegacia, de acordo com relatório divulgado na terça-feira (30 de agosto) na página do Facebook da Igreja de Shouwang.

Funcionários do governo disseram aos membros da igreja de Fangshan para assinarem documentos, declarando renunciar à decisão de apoiar a igreja de Shouwang. Todos os cincos se recusaram, mas acabaram por ser liberados.

Os cinco membros de Fangshan fazem parte de uma crescente onda de cristãos vinculados a igrejas domésticas que, apesar das consequências, apoiam a Igreja de Shouwang e sua atitude de realizar suas reuniões em praças públicas.

Os membros da Igreja de Shouwang estão se reunindo ao ar livre todos os domingos, desde 11 de abril, depois que funcionários do governo negaram-lhes acesso a um local permanente para que se reúnam e realizem os cultos.

Os líderes da igreja estão em oração, decidindo sobre o rumo e a ação que devem tomar contra a situação imposta pelo governo.

Além dos membros da igreja de Fangshan, a polícia deteve pelo menos 15 membros da igreja de Shouwang que apareceram para o culto no domingo passado (28 de agosto), mantendo-os presos por até 48 horas em salas de interrogatório.

Os líderes da igreja de Shouwang mandaram uma mensagem de encorajamento aos membros, dizendo que o tempo de privações irá passar.

“Se é a vontade de Deus, Ele também é capaz de acabar com nossos sofrimentos e nos dar a vitória. Mas se for da Sua vontade que continuemos esta jornada, vamos orar para que ele nos dê mais perseverança e coragem.”

Tradução: Lucas Gregório

veja também