Cristãos libaneses pedem oração por novo governo

Cristãos libaneses pedem oração por novo governo

Atualizado: Quarta-feira, 26 Outubro de 2011 as 10:44

Agência missionária convida cristãos de todo o mundo para um movimento de oração em massa para a Líbia após a morte do coronel Muammar Kaddafi.

Muitas igrejas aderiram e, desde esse domingo, levantam clamor pelo país.

Com o Conselho Nacional de Transição focado na final da missão da OTAN e a elaboração de uma nova Constituição, David Innes, do Ministério Mundo Árabe, disse que há uma necessidade real para a oração sacrificial. “Gostaríamos de ver um grande movimento de oração entre os cristãos", disse ele.

“O melhor que podemos fazer nesse momento é orar, buscar a Deus e pedir que o Seu Reino e Sua vontade sejam feitas na Líbia”, disse o integrante do Ministério.

Cristãos na Líbia estão pedindo à igreja ara orar por eles durante este período de transição. Irmão Innes pede que os cristãos orem para que o tipo de governo seja ideal para a Líbia e melhor ainda para o Reino.

Embora seja esperado que a nova constituição e governo defenda a liberdade religiosa, Innes disse que é importante orar para que a igreja na Líbia permaneça forte, independentemente do seu futuro político.

"Gastamos muito tempo debatendo e conversando e perguntando que tipo de governo irá surgir lá, mas nossas palavras seriam melhores se fossem dirigidas para o céu, na oração para que comece o tipo certo de governo e que os nossos irmãos e irmãs sejam fortes, independente do que aconteça”, adverte.

As estimativas quanto ao número de cristãos na Líbia não passam de 150 mil. A minoria comunidade cristã consiste principalmente de estrangeiros que vieram ao país para trabalhar, apesar de algumas agências de mídia reportar um êxodo de cristãos durante os últimos nove meses de conflito.

David Innes disse que, embora os grupos islâmicos tenham sido reforçados em outras nações árabes, o Ministério Mundo Árabe está esperançoso para o futuro da Igreja na Líbia.

Ele falou de uma "abertura" no período interino e disse que 6.000 cristãos tinham respondido a um artigo sobre a Líbia, em sua página no Facebook. Desses, 180 estão em contato direto com o Ministério para perguntar mais sobre a fé cristã.

"Quando você abre essa porta é difícil fechá-la. Nós ainda tivemos testemunhos de alguns que vieram para a fé na Líbia durante este tempo, já temos visto o crescimento e estamos orando para que, independentemente do que aconteça politicamente, a igreja seja fortalecida e ousada, e que esta porta que foi aberta dê frutos”, conclui ele.

Innes acrescentou que mesmo se a nova Constituição e do governo são boas para os cristãos, a necessidade de rezar para os crentes, há em curso uma vez que continuam a viver e crescer em um país de maioria muçulmana.

“Para as pessoas que vieram para a fé, ainda há a preocupação de" Posso compartilhar isto com a minha família? Posso compartilhar isto com as pessoas na minha comunidade? Isso não vai mudar não importa que tipo de governo que temos.

Ainda há essa preocupação porque muita pressão sobre os crentes no mundo árabe vem de suas famílias e não necessariamente do governo.

veja também