Cristãos precisa de permissão para Ler a Bíblia na Birmânia

Cristãos precisa de permissão para Ler a Bíblia na Birmânia

Atualizado: Terça-feira, 8 Novembro de 2011 as 12

O governo birmanês recentemente impostos novas regras  restringindo a liberdade dos cristãos no país para adorar, ministrar estudos bíblicos e orar, de acordo com a (CSW) -Christian Solidarity Worldwide (Solidariedade Cristã Mundial).Clique, leia e ore por este povo e esta nação, amém… A última medida por oficiais na Birmânia(agora Minamar) exige que cristãos no Município Phakant,Estado de Kachin a apresentar um pedido por escrito, pelo menos, 15 dias de antecedência para ler a Bíblia, realizar estudo da Bíblia, escola dominical e oração, como também para qualquer atividade relacionadas , de acordo com Christian Solidarity Worldwide (Solidariedade Cristã Mundial)(CSW).

Os pedidos, mandados pedindo permissão ao Departamento de Administração Geral Township, também deve ser acompanhado de recomendações de outros setores governamentais, tendo todo um tramite para aprovação.

“Por muitos anos, os sucessivos regimes birmanês reprimiu a liberdade de religião e impôs sérias restrições sobre os cristãos e outras minorias religiosas,” disse o  líder da equipe Bento Rogers da Christian Solidarity Worldwide (CSW). “Para impor exigência as igrejas e indivíduos em buscar permissão para ler a Bíblia, orar, jejuar e manter uma escola dominical é considerado uma restrição extrema e consequentemente uma violação extraordinária da liberdade de religião no país”.-Acrescentou.

Cristão birmaneses em protesto pelos refugiados

As novas restrições temos visto que vêm devido a um aumento da violência contra a minoria cristã do país Birmânia, a maioria localizada no norte do Estado de Kachin.

No início deste mês, funcionários militar birmanesa bateu e prendeu cinco homens, incluindo o Pastor Jan Ma Li Aung, de acordo com Mizzima, uma organização de notícias dirigido por jornalistas birmaneses em Nova Delhi, Índia . Os homens foram mais tarde libertados.

Os cristãos também foram proibidos de construir novas igrejas, e têm tido símbolos religiosos – como cruzes – removido pelos militares. Seguidores de Cristo também tinha comida e casas confiscadas pelos funcionários, de acordo com relatório da Human Rights Watch (Observatório de direitos Humanos).

veja também