Cristãs são estupradas e mortas em ataque à van, em Moçambique

Sete pessoas foram mortas e outras ficaram feridas em ataque Cabo Delgado, no norte de Moçambique.

fonte: Guiame, com informações do Club of Mozambique

Atualizado: Quinta-feira, 24 Janeiro de 2019 as 2:14

Imagem ilustrativa. A violência tem tomado conta de Cabo Delgado, em Moçambique. (Foto: Brett Eloff/Oxfam America)
Imagem ilustrativa. A violência tem tomado conta de Cabo Delgado, em Moçambique. (Foto: Brett Eloff/Oxfam America)

Um ataque realizado por insurgentes armados deixou sete mortos e sete feridos na província de Cabo Delgado, no norte de Moçambique. As informações foram obtidas em 8 de janeiro pelo site Lusa.

Por volta das 7h da manhã, o grupo armado disparou contra uma van que conduzia passageiros cristãos em uma estrada que liga as vilas de Palma e Mpundanhar. Depois de parar o veículo, o grupo forçou os passageiros a descer e os atacou usando facões e outras armas, segundo as fontes.

Dentre os sete mortos no ataque, seis eram mulheres, que foram estupradas antes de serem assassinadas, disseram as fontes. O único homem morto foi o motorista da van, decapitado no local.

A violência em Cabo Delgado ganhou visibilidade após um ataque armado contra a polícia na vila Mocímboa da Praia em outubro de 2017. Dois agentes foram mortos por um grupo de muçulmanos locais que pregavam uma insurgência contra o Estado.

Desde então, os ataques passaram a acontecer longe das estradas de asfalto e da infraestrutura das empresas petrolíferas na península de Afungi, em Palma.
Segundo dados oficiais, mais de 100 pessoas, entre moradores, militares e supostos assaltantes morreram desde o início da onda de violência.

Na semana passada, o Ministério Público de Moçambique adicionou mais cinco nomes à lista de cerca de 200 pessoas acusadas de realizar os ataques armados em Cabo Delgado.

veja também