Cuba: Autoridades liberam cultos nas prisões

Cuba: Autoridades liberam cultos nas prisões

Atualizado: Sábado, 19 Setembro de 2009 as 12

A próxima caravana de voluntários de Missões Mundiais que estará em Cuba entre os dias 16 e 24 de novembro já poderá realizar cultos nas prisões. Pela primeira vez em 50 anos o governo cubano abriu um novo espaço para a fé religiosa na ilha de governo comunista. 

O presidente do Conselho de Igrejas de Cuba, Marcial Miguel Hernández, disse na terça-feira (15) que a decisão foi anunciada em um recente encontro com autoridades do Departamento de Assuntos Religiosos do Partido Comunista e do Ministério do Interior.

''De modo oficial e sistemático, as autoridades penitenciárias e de Cuba nos comunicaram que a partir de setembro podemos oferecer cultos de acordo com as solicitações nas diferentes prisões'', afirmou Hernández.

''Para nós, é a expressão e o ato de boa vontade das autoridades cubanas à proclamação da fé cristã'', acrescentou.

As igrejas e o governo cubano estão superando a mútua desconfiança que marcou suas relações por décadas depois da revolução do líder Fidel Castro, em 1959. Quando o caráter comunista da revolução se acentuou, a partir de 1961, houve perseguição sistemática a líderes religiosos, fechamento de igrejas, prisão e expulsão de religiosos e até a proibição da comemoração do Natal no país.

Em maio, o representante de Missões Mundiais para a cidade do Rio de Janeiro, Pr. Antônio Galvão, liderou o Impacto Especial em Cuba, juntamente com mais seis pastores e a esposa de um deles. Foi um tempo de experiências marcantes para o grupo. Eles visitaram famílias, pregaram e testemunharam em igrejas, missões (congregações) e células de oração e estudos bíblicos.

veja também