"Deus mandou a chuva para deter o inimigo", afirma missionário etíope

"Deus mandou a chuva para deter o inimigo", afirma missionário etíope

Atualizado: Quinta-feira, 28 Janeiro de 2010 as 12

''Não tinha com quem contar. Telefonei para o meu líder no meio da confusão. Ele orou por mim. E Deus enviou a chuva para conter o inimigo, que desejava tirar minha vida'', contou Mihiret Tamir, 38, missionário de uma remota aldeia do Estado de Amhara.

Há dez anos, Mihiret foi o primeiro a se converter em sua aldeia. Desde então, ele tem enfrentado oposição. Já recebeu ameaças de morte e sobreviveu a mais de um ataque.

O ataque mais recente se deu em 1º de maio do ano passado, quando Mihiret e sua família acordaram por volta da meia-noite com o barulho de pedras atingindo sua casa.

A esposa e os filhos de Mihiret esperavam o pior, pois ainda estavam traumatizados pelos ataques anteriores.

A casa da família já foi incendiada, a plantação já foi destruída e o próprio Mihiret já sofrera agressões que quase o mataram.

Enquanto as pedras atingiam sua casa, Mihiret, preocupado, tentou consolar a família e reuniu-a para orar.

A casa foi apedrejada por mais de 30 minutos, enquanto a família se perguntava o que fazer.

''Todos me olhavam, foi muito difícil. Não podia escapar dos olhares de meus amados, e percebi que tinha de mostrar um pouco de força e calma para lhes assegurar de que a situação não era perigosa'', relembrou Mihiret.

Desesperado, ele telefonou para seu coordenador, que vive em Bahirdar, para pedir ajuda em oração.

Telefonema inesperado

''Era tarde da noite, cerca de 1 da manhã, e eu estava dormindo'', comentou o coordenandor.

''Fiquei assustado em receber uma ligação tão tarde. Quando vi que era Mihiret quem estava ligando, suspeitei que havia algo errado. Atendi o telefone e logo perguntei o que estava acontecendo. Ele me disse que havia pessoas apedrejando sua casa. Mihiret pediu para que orássemos por eles. Eu conseguia ouvir as pedras atingindo a casa, ao fundo. O que mais poderia fazer naquele momento? Moro a cem quilômetros de distância, e já era tarde... Oramos juntos pelo telefone. Antes de desligar, animei Mihiret a confiar em Deus. Eu estava realmente confuso. O que podia fazer para ajudá-lo? Algumas semanas antes do incidente, ele me disse que havia recebido uma nota, mandando-o deixar a aldeia. Fiquei preocupado com a segurança dele, já que podiam atacá-lo. Ajoelhei-me e orei pela segurança de Mihiret e de sua família. Não consegui dormir depois daquele telefonema''.

Livramento

''Pela manhã, Mihiret telefonou de novo e deu graças a Deus. Foi um enorme alívio ouvi-lo dizer que estava seguro. Ele me contou que, assim que oramos juntos, caiu uma enorme chuva na vila, acompanhada de um vento fortíssimo. A chuva e o vento permaneceram por mais tempo do que o normal. Consideramos isso uma intervenção divina. Foi inesperado. A chuva forçou as pessoas a ir embora e buscar abrigo'', compartilhou o líder.

Mihiret  contou que desde então, os aldeões o chamam de ''o mágico''. ''A vila toda estava preocupada com a falta de chuva naquele mês. Mas, de repente, a chuva veio para dispersar meus inimigos. Foi intervenção de Deus'', compartilhou.

Ele continua: ''Não vou parar de ser testemunha de Cristo. Não devo poupar minha vida neste mundo. Costumava ter de tudo, mas não tinha paz de mente e coração. Só consegui isso em Cristo. Fui quase morto por pessoas que se opõem a minha fé nele. Mas sobrevivi…  Não tenho vida fora de Cristo. Não vou hesitar em morrer no ministério, se essa for a vontade de Deus e se for necessário''.

Mihiret treina atualmente mais de 20 novos convertidos.

veja também