Disputas de terra desanimam Igreja em Zanzibar

Disputas de terra desanimam Igreja em Zanzibar

Atualizado: Segunda-feira, 26 Abril de 2010 as 12

Representantes de Portas Abertas foram encorajar recentemente o Pastor Adriano Mhina (42), fundador da igreja Vida Cristã, na região de Mbweni, fora da cidade de Zanzibar, que teve o prédio de sua igreja demolido na noite de domingo, dia 27 de dezembro, após uma disputa de terra com um funcionário do governo.

O Pastor Adriano disse aos representantes de Portas Abertas que a igreja Vida Cristã começou a ministrar em 2006 a ex-muçulmanos que não tinham aonde cultuar por medo da perseguição. ''Decidimos começar uma comunidade na casa de um de nossos membros para que fosse mais fácil para os ex-muçulmanos frequentarem'', contou o Pastor Adriano.

Cinquenta e dois membros compareceram a essas reuniões. Isto foi até maio de 2008, quando receberam ordem das autoridades de evacuar a casa de propriedade do governo. Os membros da igreja Vida Cristã, então, mudaram-se para outra residência, apenas para serem expulsos novamente dois meses mais tarde.

Na época da segunda ordem de evacuação, o Pastor Adriano conheceu Benedictus Lucas Michel. Benedictus tinha morado na terra de propriedade do governo desde 1967 e, em 1999, o comissário do distrito emitiu uma carta de direito que supostamente atestava sua posse da terra. Logo depois, a carta foi enviada ao cartório para o registro da propriedade de Benedictus. Ele permitiu que a igreja erguesse um prédio provisório de reuniões em sua terra enquanto continuava as negociações com o governo pelos documentos de posse da terra.

Para a grande frustração do Pastor Adriano, o ministro da terra e representante do gabinete da província, Mansoor Yusuph Himid, anunciou em 25 de dezembro do ano passado que a terra de Benedictus, na qual permanecia a igreja Vida Cristã, pertencia agora ao governo e que tinha sido dada a outro partido para imediata construção de outro prédio.

Dois dias mais tarde, membros da igreja Vida Cristã notaram que havia um fosso atravessando a área da igreja. Um grupo de cerca de vinte operários informaram de forma zombeteira aos membros que eles tinham sido enviados para escavar as fundações do novo prédio e demolir o prédio da igreja após o culto de domingo. Eles também alertaram os membros de que qualquer tentativa de interferir com o seu trabalho levaria à prisão por ordem do ministro Mansoor que, de acordo com o Pastor Adriano, havia prometido anteriormente intervir em favor da congregação.

Em uma tentativa de negociar, Adriano disse aos operários que tinha um encontro com o ministro, em sua residência, para discutir o assunto dentro de dois dias. Os operários insistiram que o Pastor Adriano tentasse antecipar o encontro para um dia mais cedo. O pastor concordou em se empenhar para isso, esperando que os operários fossem embora.

''Mas foi tudo um blefe!'', disse Adriano, decepcionado com o desenrolar dos eventos. ''Foi um blefe porque, quando o culto terminou e todos fomos para casa, eles demoliram o prédio''.

Adriano manteve seu encontro com o Ministro Mansoor no dia 29 de dezembro, que lhe prometeu compensá-lo com terra na região de Tunguu, cerca de 25 km ao sul. ''Mas foi só isso'', disse o pastor, ''...as autoridades não fizeram nada desde então''.  

Quando funcionários do governo ouviram sobre o incidente, o representante da região local encontrou-se com o ministro em uma tentativa de solucionar a questão, mas nada saiu da reunião. A opinião de Adriano é de que isso é porque o Ministro Mansoor é o mais antigo representante da região local.

''Eles não ficam felizes ao ver novas igrejas'', explicou Adriano quando perguntado por que acha difícil as igrejas adquirirem terra.

A igreja Vida Cristã é apenas uma entre muitas igrejas em Zanzibar que têm lidado com disputas de terra durante os últimos quatro anos.

Líderes das Assembleias de Deus Pentecostais compraram recentemente um pedaço de terra a cerca de seis quilômetros da igreja Vida Cristã. Os membros haviam quase completado a construção do prédio da igreja quando também receberam uma ordem judicial para evacuar as dependências imediatamente. A questão foi levada ao tribunal, mas, até agora, nada foi resolvido.

As Assembleias de Deus Tanzanianas em Tunguu também podem atestar sobre uma disputa de terra em andamento com funcionários do governo.

Durante 2006, a Comunidade das Igrejas Pentecostais da Tanzânia em Mwera, cerca de doze quilômetros da igreja Vida Cristã, também tiveram uma experiência similar.

Por enquanto, a construção no local aonde permanecia o prédio da igreja Vida Cristã continua. E o Ministro Mansoor ainda está por cumprir sua promessa de compensação aos membros da igreja. Enquanto a disputa continua, eles decidiram se reunir no litoral de Mbweni durante a semana e se juntar à vizinha igreja de Deus aos domingos até que a situação seja resolvida.

A Portas Aberas está monitorando de perto o progresso da disputa de terra e frequentemente encoraja o Pastor Adriano enquanto aguarda pela ação do governo. Nós também queremos pedir que aqueles que os apoiam enviem cartas de encorajamento ao Pastor Adriano e aos membros da igreja Vida Cristã (veja as orientações abaixo).

Para entender mais

A constituição da Tanzânia, que inclui a ilha de Zanzibar, concede liberdade de culto aos cidadãos, mas a maioria da população da ilha adere ao islã e os fundamentalistas tendem a se opor ao cristianismo. Além disso, a comunidade dominante de muçulmanos em Zanzibar prefere muito mais o modo islâmico de herança da terra. O processo legal de adquirir terras, portanto, vai de encontro a essa tradição.

O fato de Zanzibar não possuir um sistema compreensivo para o assentamento de terras contribui para esse empecilho bem como para as consequentes disputas de terras que as igrejas enfrentam.

veja também