Doações: sobras são distribuídas

Doações: sobras são distribuídas

Atualizado: Quinta-feira, 10 Fevereiro de 2011 as 2:19

A Prefeitura de São José começou a repassar para a população, entidades sociais e outras cidades os donativos que sobraram da campanha promovida para ajudar as famílias do bairro Rio Comprido, bairro na zona sul da cidade, que ficaram desabrigadas pelas chuvas em janeiro.

Restaram pelo menos 15 das 75 toneladas do material arrecadado pelo município em conjunto com paróquias da diocese de São José, igrejas evangélicas e entidades assistenciais. O material está estocado no Pavilhão das Gaivotas, no Parque da Cidade, zona norte da cidade.

O secretário de Desenvolvimento Social, João Francisco Sawaya de Lima, o Kiko, relatou que de 100 a 200 pessoas vão ao local diariamente em busca de roupas.

“Sobrou bastante donativo, principalmente roupas, por isso, decidimos doar para a população mais carente que procura o local e para entidades sociais”, declarou ontem à reportagem o secretário de Desenvolvimento Social.

Rio comprido /Ele frisou que todas as famílias do Rio Comprido foram contempladas. “Distribuímos para 200 famílias mais de 400 kits de alimentação, material de limpeza e higiene pessoal, mobiliário, utensílios e roupas”, afirmou o secretário.

De acordo com Sawaya, os moradores do Rio Comprido ainda são prioridade, no entanto, ‘a comunidade não quer mais saber de roupas’.

Moradores do Rio Comprido dizem que foram atendido

Moradores do Rio Comprido relataram que receberam ajuda das assistentes sociais da prefeitura e que, realmente, teve sobra de roupas colocadas à disposição das famílias atingidas pelas chuvas. Dona Maria de Fátima do Nascimento, 54 anos, que teve a casa interditada, contou que recebeu uma cesta de alimentos e uma de produtos de limpeza. “Também ofereceram roupas, mas eu prefiro as minhas”. Dona Neida Aparecida Rosa, 39 anos, afirmou que havia muita roupa à disposição dos moradores. “A minha família tem sete pessoas e o que recebemos foi suficiente”, disse.

Pavilhão ainda tem ‘estoque’ de doações

A reportagem esteve no pavilhão ontem e constatou que ainda há grande quantidade de peças de roupas, sapatos, colchões e móveis no local. Em um galpão ao lado foi montado um bazar improvisado, onde as pessoas podem escolher peças para levar para casa. “Vou levar para toda a família”, disse uma senhora do Chácaras Havaí, na zona norte de São José.

veja também