Dose mais forte leva esperança para dependentes químicos em Pernambuco

Dose mais forte leva esperança para dependentes químicos em Pernambuco

Atualizado: Segunda-feira, 23 Maio de 2011 as 12:10

Um levantamento sobre o uso de drogas psicotrópicas no Brasil, realizado pela Secretaria Nacional Antidrogas (SENAD) em 2005, revela que 22,8% da população pesquisada já haviam feito uso de drogas, número correspondente a mais de 11,6 milhões de pessoas.  A maconha aparece em primeiro lugar entre as drogas ilícitas usadas, com 8,8% dos entrevistados, número superior ao de países como Bélgica (5,8%) e Colômbia (5,4%).

Em busca de novas experiências, muitos acabam ultrapassando os limites, gerando consequências negativas tanto para o corpo como para a sociedade. Embora campanhas publicitárias sejam feitas constantemente alertando para os danos causados pelas drogas, o consumo continua. Durante o estudo, um terço da população masculina de 12 a 17 anos declarou ter sido submetido a tratamento para dependência química.

O Dose Mais Forte é um dos projetos desenvolvidos pela Força Jovem da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) e tem como objetivo alertar sobre do perigo das drogas, além de auxiliar àqueles que desejam se livrar da dependência química.

Formado por ex-dependentes químicos, que alcançaram a libertação dos vícios por meio da fé em Deus, o grupo realiza visitas periódicas a centros de recuperação, escolas e casas de internação públicas, ministrando palestras  e orações para os jovens que desejam ser reintegrados à sociedade.

Há dois anos a frente do projeto em Pernambuco, o pastor Júlio César dos Santos garante que o resultado tem sido positivo na região e que, a cada visita do grupo nas instituições, jovens encontram forças para vencer o vício. “Temos tido êxito nas visitas. A maior alegria é quando os jovens nos procuram para agradecer e contar o testemunho da libertação alcançada”, diz o pastor.

A equipe começou um trabalho dentro do Centro de Atendimento Sócio Educativo (Casem), órgão responsável pela aplicação de medidas a jovens infratores, do bairro de Rosarinho, em Recife. De acordo com o coordenador da entidade, Valdemir Pimentel, as mensagens têm sido bem aceitas pelos internos. “Durante as orações e palestras, os jovens prestam a atenção e respeitam o trabalho”, destaca.

Almir Calazans, de 38 anos, faz parte do grupo de voluntários e também já foi um dependente químico. Aos 16 anos, para agradar os amigos e manter uma posição de respeito dentro da turma, Almir começou a usar maconha, crack, chá de cogumelo e lança perfume. O uso esporádico foi se tornando cada vez mais constante e quando se deu conta já era um dependente.  Para se afastar das más companhias, ele se mudou para casas de familiares em outros estados e até para fora do país. Para ele, a estratégia foi em vão, pois só contribuiu para que se viciasse ainda mais. “Em vez de melhorar, piorou, pois meus familiares não tinham controle sobre mim. Me sentia livre para me drogar sem preocupações”, relata.

O dinheiro do trabalho era todo gasto em drogas, e Calazans chegou a furtar jóias e cheques de sua mãe para sustentar o vício.

Ele conta que o momento mais triste de todo esse passado foi quando despertou pela madrugada com o choro de sua mãe desesperada por descobrir seus furtos. “Naquela madrugada ela teve uma crise nervosa e foi hospitalizada. Naquele momento, pensei que minha mãe iria morrer e a culpa recairia sobre mim”, relembra. Após esse incidente, decidiu ir até a IURD e conheceu o projeto “Dose mais forte”, livrando-se de toda dependência química. “Hoje eu me dedico a esse projeto para que todos saibam que vivi durante 21 anos da minha vida no mundo das drogas, mas encontrei a libertação em Deus, e esses jovens também encontrarão”, afirma.

Em Recife, o encontro dos jovens acontece todos os sábados às 17 horas na Av. Mário Melo, 356, bairro Santo Amaro. Mais informações pelos telefones (81) 3242-7659  ou (81) 3242-7659.  

veja também