Encontro reúne ministérios que trabalham com ciganos

Encontro reúne ministérios que trabalham com ciganos

Atualizado: Segunda-feira, 14 Junho de 2010 as 8:34

Nos dias 3 a 6 de junho, líderes e pessoas interessadas em levar Cristo à etnia cigana se reuniram na cidade de Santa Fé do Sul, SP, para o 3º Encontro Nacional de Evangelização de Ciganos. Até o momento, este foi o maior evento evangélico brasileiro sobre missões entre ciganos, contando com a participação de 40 pessoas, representando 9 ministérios de diversas regiões e denominações.

O preletor oficial, o pastor e professor Gedeon Lidório (FTSA; Inst. Antropos), contribuiu significativamente com o propósito do encontro, compartilhando ferramentas de antropologia missionária que podem ser aplicadas nas realidades do campo cigano. Além desse assunto, os pastores Artaxerxes Fernandes, Valdir Apolinário e Klaus Simon trouxeram reflexões sobre chamado missionário, abordagem holística e a relação dos ciganos com a Igreja Brasileira. O evento foi organizado pela Rede Nacional de Evangelização de Ciganos (RENECI), através da Missão Amigos dos Ciganos-Sul da Junta de Missões Nacionais. Iniciada na quinta-feira à noite (dia 3), a programação foi dinâmica, com palestras, diálogos compartilhados e apresentação dos ministérios representados. Estiveram presentes irmãos que evangelizam ciganos na Paraíba, São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Mato Grosso do Sul. Além dos missionários não-ciganos, participaram do evento 6 ciganos crentes da etnia Calon.

Um dos momentos mais marcantes foi o período de intercessão pelo pastor calon Valdir Apolinário e sua família, logo que pregou. Em sua pregação, ele destacou o quanto um cigano é marcado pela rejeição da sociedade (e muitas vezes até pela igreja) e o quanto ele e sua família foram marcados pela aceitação amorosa e incondicional de Jesus Cristo. Pastor Valdir foi eleito mais uma vez para a representação da RENECI. No domingo, dia 6, outro momento emocionante: o batismo de dois irmãos ciganos calons, marcando o avanço da missão a este povo excluído.

Fonnte: JMN

Postado por Débora Padoin Malva

veja também