Etiópia: Grupo muçulmano ataca cristãos e igrejas

Etiópia: Grupo muçulmano ataca cristãos e igrejas

Atualizado: Terça-feira, 6 Outubro de 2009 as 12

A agência International Christian Concern soube que um grupo muçulmano agrediu três cristãos e saqueou duas igrejas em Senbete, uma cidade na região Arsi da Etiópia.

Cerca de 300 muçulmanos saquearam a Igreja Evangélica Mulu Wongel e incendiaram a propriedade da igreja. Eles também atacaram a residência do evangelista Gizachew, um dos líderes, destruindo suas roupas, móveis, pertences e TV.

O grupo foi até a igreja Kale Hiwot, onde os cristãos estavam celebrando o Ano Novo Etíope. Eles atacaram os cristãos com pedras e paus, quebraram o braço esquerdo de Aberash Terefe, e feriram gravemente Tefera Bati e Desaleghn Eyasu. Os três foram levados para o hospital de Kuyera e dispensados após o tratamento.

A violência teve início depois que líderes muçulmanos pediram os ataques, alegando que Mulatu Eyasu, estudante do segundo ano da escola bíblica, e Berhanu Abose, fazendeiro, profanaram o Alcorão. O sheik Hussein Mohammed, Imam Ahmed e um terceiro muçulmano instigaram os ataques. Os oficiais da Etiópia estão procurando por eles, mas eles continuam à solta. A polícia prendeu o sheik Qufa Wonjelo, Moti Motamo, Domba Atota, Sero Sheik Ahmedin, Bamudi Tulu e Bati Barasso por provocar a violência.

Mulatu Eyasu e Berhanu Abose também estão sob custódia da polícia, sob falsas acusações de profanarem o Alcorão.

Fontes identificaram Bati Wetiye, Lelisso Atota e Begelo como mentores dos ataques. Os três são empresários influentes na cidade vizinha de Shashamane. Eles encorajaram o grupo a iniciar um conflito, para eliminar os cristãos da área.

Os muçulmanos são maioria na pequena cidade de Senbete. Os líderes muçulmanos estão irados com as conversões ao cristianismo. Alguns radicais ameaçam realizar outros ataques contra os cristãos.

veja também