Ex-muçulmana é espancada pela própria família após se converter ao cristianismo

Ao saber da conversão da mulher, sua família própria família preparou uma 'armadilha' e a agrediu fisicamente.

fonte: Guiame, com informações da Portas Abertas

Atualizado: Sexta-feira, 31 Maio de 2019 as 11:25

Cristã da Ásia Central lê sua Bíblia. (Foto: Portas Abertas)
Cristã da Ásia Central lê sua Bíblia. (Foto: Portas Abertas)

Uma jovem ex-muçulmana do Quirguistão está sofrendo as consequências de ter se tornado uma cristã em um país de cultura fortemente islâmica.

Há cerca de dois anos atrás, Amira* começou a trabalhar e morar em uma cidade maior, próxima ao povoado onde nasceu e cresceu. Lá ela acabou conhecendo cristãos, que compartilharam a mensagem do Evangelho e assim, ela acabou se convertendo.

A moça começou a frequentar a igreja e a servir a Deus em sua congregação. Porém, quando seus pais souberam que ela havia se tornado cristã, reagiram com agressividade.

"Você é uma vergonha e uma desgraça para nossa família", eles disseram à moça, enfurecidos por ela ter abandonado o islamismo.

Armadilha

O ódio no coração dos familiares da moça foi tão grande que eles decidiram criar uma armadilha para pegá-la. Ela foi convidada por eles para ir ao vilarejo, supostamente para visitar a família. Mas quando Amira chegou ao local, foi recebida com socos e chutes de seus próprios parentes, que tentavam forçá-la a voltar ao islamismo. Por fim, eles a prenderam dentro de casa. Os familiares também tentaram arranjar um casamento forçado da jovem com um muçulmano.

Mas Amira conseguiu fugir e voltou para sua igreja na cidade grande, onde conseguiu o apoio dos líderes da congregação. Eles a enviaram a uma outra grande cidade do país e conseguiram colocá-la em uma casa segura, apoiada pela Missão Portas Abertas.
Amira ama seus pais e familiares, mas não pode voltar, pois tem medo de ser agredida novamente e forçada a se casar com um muçulmano.

O Quirguistão é um dos poucos países da Ásia Central que não está na Lista Mundial da Perseguição 2019. No entanto, é o 52º país em observação quanto à perseguição aos cristãos.

A Missão Portas Abertas pediu orações pela jovem, que ainda corre sérios riscos e continua com sua localização mantida em sigilo.

"Interceda pela segurança desta jovem cristã e para que Deus a livre de ser forçada a se casar com um muçulmano. Peça pelo consolo, força, sabedoria e paz do Senhor em sua vida para conseguir encarar esse momento. Ore também pelos pais e parentes de Amira, para que Deus amoleça seus corações e eles também creiam em Jesus", pediu a Missão em seu site.

*Nome alterado por motivos de segurança.

veja também