FIAP promove campanha de doação de medula óssea

FIAP promove campanha de doação de medula óssea

Atualizado: Terça-feira, 8 Fevereiro de 2011 as 11:55

Com o objetivo de promover a integração dos calouros e estimular todos os seus alunos a exercerem a cidadania e a solidariedade, a FIAP promove a partir de 7 de fevereiro o Trote Solidário 2011. A novidade deste ano é a campanha de cadastramento voluntário para doadores de medula óssea, realizada em parceria com a Associação da Medula Óssea do Estado de São Paulo (AMEO). Marcada para 16 de fevereiro, na sede da instituição, na Av. Lins de Vasconcelos, 1222, em São Paulo, a ação é voltada aos estudantes e também à comunidade. “Vizinhos, amigos e parentes dos nossos alunos podem vir fazer o seu cadastro de doador”, afirma o coordenador do projeto, Reinaldo Belizzario Jr. Ele explica que durante a campanha será realizada a coleta de 5 ml de sangue do voluntário para o teste de compatibilidade e cadastramento no registro nacional de doadores de medula óssea (REDOME). A doação da medula óssea só acontece quando for localizado um receptor compatível.

“A doação é muito simples, muitas vezes as pessoas apenas não têm informações sobre o procedimento. Doe medula óssea, você pode ser uma em 100 mil. Para o paciente, você pode representar a única possibilidade de cura”, argumenta Vanessa Borges, Coordenadora de campanhas da AMEO.

Além do cadastro de doadores de medula, o Trote Solidário da FIAP conta com uma saudável competição entre as classes para arrecadação de mantimentos e produtos de higiene pessoal, que são doados a 19 instituições. “Em 2010 arrecadamos 10 toneladas de alimentos e 10.108 itens de higiene e este ano a expectativa é um crescimento de 20% nas doações”, diz Belizzario.

As turmas de calouros são apadrinhadas por uma sala de veteranos e eles passam a se organizar para arrecadar os donativos. Os itens recebem uma pontuação, de acordo com uma avaliação da FIAP, e a equipe que marcar mais pontos recebe como prêmio uma visita monitorada à sede do Google Brasil.

O Trote Solidário acontece de 7 de fevereiro a 14 de março, período no qual alunos e toda a comunidade podem entregar doações. O volume de donativos pode ser conferido no site www.fiap.com.br/ihelp, atualizado em tempo real.

“Em geral, o último dia é o mais movimentado, pois os alunos desenvolvem estratégias e não querem que os ‘concorrentes’ saibam o quanto eles já arrecadaram”, diz Belizzario. “Já na primeira semana de aula os alunos FIAP têm a chance de aprender na prática a trabalhar em conjunto e a organizar um plano de ação, qualidades importantes no desenvolvimento da carreira profissional”, completa.

O trote Solidário é uma das principais ações do iHelp, projeto por meio do qual a FIAP, ao longo do ano, promove campanhas como as de doações de agasalho, de livros e de sangue. “Estamos exercendo nossa solidariedade e ainda ajudamos na formação do caráter dos nossos alunos. Esse é um importante papel de uma instituição de ensino”, finaliza Belizzario.

Serviço

Data: 16/02/100 (quarta-feira) Manh㠖 das 11h às 14h Tarde/Noite – das 17h às 21h

Sobre o transplante de medula óssea

Considerado um dos principais desafios na área da saúde atualmente, o transplante de medula óssea é a única esperança de cura para muitos portadores de leucemia e algumas outras doenças do sangue. Somente no Brasil, 1,2 mil pessoas aguardam na fila por um transplante do tecido.

Localizada no interior dos ossos, a medula é um tecido que tem como função produzir as células sanguíneas: glóbulos brancos, glóbulos vermelhos e plaquetas. Para que o procedimento ocorra é necessário que a compatibilidade entre o doador e o receptor seja 100%, porém, dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA) revelam que a chance de encontrar uma medula compatível em pessoas que não pertencem à família é de uma em 100 mil.

De acordo com a AMEO, aproximadamente 70-75% dos pacientes que necessitam de um transplante de medula óssea, não possuem familiares doadores e buscam um tecido compatível no banco de doadores, administrado pelo INCA.

A realização do cadastro consiste no preenchimento de uma ficha com dados pessoais e na retirada de 5 mililitros de sangue do doador para o teste de compatibilidade e cadastramento no Banco de Doadores de Medula Óssea. Caso haja compatibilidade, o voluntário passará por exames clínicos, laboratoriais, antes da realização do transplante.

Há duas formas de transplantar o tecido: a coleta direta da medula óssea, realizada com agulha especial e seringa na região da bacia, além de anestesia; e a coleta pela veia, realizada pela máquina de aférese, que permite separar as células a serem retiradas. Nesse caso, o doador recebe um medicamento por cinco dias para estimular a multiplicação das células-mãe, que migram da medula para a veia e são filtradas. A medula se recompõe rapidamente e pode ser doada várias vezes caso haja compatibilidade.

veja também