Igreja em Tizi Ouzou é proibida de expandir templo

Igreja em Tizi Ouzou é proibida de expandir templo

Atualizado: Quinta-feira, 9 Setembro de 2010 as 8:33

Em 8 de setembro, quarta-feira, o ultimato chegou ao fim, pela autoridade local de Tizi Ouzou; em comparação, a igreja terá de derrubar parte do prédio recentemente construído. Membros da igreja e conselho estão angustiados com a situação e não sabem o que fazer.

A igreja está localizada no bairro já há vários anos e, por causa do crescimento, o salão da igreja existente não pode ajustar o número crescente de visitantes. Os membros da igreja conseguem um vislumbre do serviço da igreja por pequenas aberturas das portas, já que o local não comporta todos. Existem telas de TV também em outras salas do edifício, que ajudam ter mais pessoas.

O conselho da igreja fez planos de ampliar a igreja e, depois de levantada a grande soma de € 15.000 mil euros, o processo de construção começa no início da primavera de 2010. As alterações criam novas salas para a Escola Dominical e ampliam o salão da igreja para que caiba em torno de mil pessoas. Dentro das paredes do local havia poucas vagas de estacionamento, mas esses lotes são abandonados e as áreas, com cerca de seis metros por quinze, agora é coberta, criando uma sala extra. No primeiro andar também farão alterações para tornar o edifício um espaço prático para o culto semanal e reuniões da igreja.

A permissão para a construção foi apresentada com as autoridades locais; somente após o processo de construção física começou na primavera de 2010. Consta que esta é uma prática comum na Argélia, especialmente quando não é um edifício completamente novo, mas apenas uma extensão de um já existente.

A situação, no entanto, parece não ser tão fácil e, durante o processo de construção, tornou-se claro que as autoridades não concederiam permissão facilmente. No final, eles não concederam permissão de todos e, em 1° de setembro, a Igreja é chamada para começar a tirar as peças recém-construídas da igreja dentro de um prazo de oito dias.

O ultimato termina em 08 de setembro e as autoridades expressaram que demolirão as extensões feitas para o edifício da igreja.

Tradução: Carla Priscilla Silva

veja também